sicnot

Perfil

País

Pais acusados de manter filhos em cativeiro julgados a partir de 2ª feira

O casal suspeito de ter mantido os filhos em cativeiro durante vários anos na cave da sua casa na Amoreira, Cascais, vai começar a ser julgado na segunda-feira

De acordo com o despacho da acusação, a mãe deve ser julgada pelos crimes de sequestro qualificado e de violência doméstica aos dois filhos, três crimes de ameaça agravada e quatro crimes de ofensa à integridade física qualificada a vizinhos e a um militar da GNR.

Contudo, a acusação requer que a arguida seja considerada inimputável, "em razão de anomalia psíquica, mas que lhe seja aplicada uma medida de segurança que obste a que continue com as mencionadas atividades criminosas".

Já o pai está acusado de dois crimes de sequestro qualificado e outros dois de violência doméstica.

Além de uma pena de prisão, o Ministério Público requer ainda que seja determinada uma pena acessória de proibição de contacto com os ofendidos.

Da acusação consta que o casal manteve os filhos em cativeiro desde 2007 e colocou grades à volta de casa, presas a cadeado, para impedir que tivessem contacto com o exterior.

A GNR, Proteção Civil, bombeiros e funcionários da EDP foram à casa, alertados pelas "condições de insalubridade da habitação", mas os arguidos nunca permitiram contacto.

Em 2009, lê-se, o filho mais velho do casal, na altura com 35 anos, foi fechado numa divisão da casa, com três metros quadrados, com uma porta de grades trancada com correntes e cadeado, sem luz natural, iluminação artificial ou isolamento térmico, "idêntica a uma cela".

"Durante esse período, os arguidos obrigaram o ofendido a dormir num colchão de espuma velho, colocado diretamente sobre o chão da divisão, sem lençóis e apenas com uma manta, alimentaram-no nesse espaço (...) e forçaram-no a satisfazer as necessidades fisiológicas num balde, que só trocavam ocasionalmente", descreve a acusação.

As vítimas foram resgatadas pelos bombeiros em junho de 2015, em estado de desorientação no espaço e no tempo.

Na altura, a arguida ficou em prisão preventiva, tendo sido decretada pelo Ministério Público a substituição da medida de coação pelo internamento preventivo em hospital psiquiátrico.

Por sua vez, a defesa da arguida considera que esta deve ser considerada "inimputável para os efeitos criminais" e requer que seja realizado um segundo exame pericial às suas faculdades mentais para apurar a gravidade da sua anomalia psíquica.

Os filhos do casal foram institucionalizados, tendo a filha mais nova morrido no mês passado.

O julgamento está marcado para as 14:00 no Tribunal de Cascais.

Lusa

  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC