sicnot

Perfil

País

Treze distritos sob aviso amarelo devido à chuva e vento forte

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou de 12 para 13 os distritos sob Aviso Amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro, devido à previsão de chuva e vento por vezes.

(Arquivo)

(Arquivo)

REUTERS

O IPMA emitiu um aviso para o distrito de Viseu, que vai juntar-se assim aos distritos de Aveiro, Guarda, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Santarém, Lisboa, Portalegre, Setúbal, Évora, Beja e Faro.

De acordo com o instituto, os 13 distritos de Portugal continental estão sob Aviso Amarelo devido à previsão de períodos de chuva ou aguaceiros por vezes fortes e acompanhados de trovoada e possibilidade de ocorrência de fenómenos extremos de vento.

O IPMA indicou, em comunicado, que o aviso está em vigor entre as 11:00 e as 18:00 de hoje.

O Aviso Amarelo, o terceiro mais grave numa escala de quatro, significa "risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica".

O instituto prevê para hoje no continente céu em geral muito nublado, períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada, diminuindo de intensidade e frequência no litoral oeste das regiões Centro e Sul a partir do final da tarde.

Está também previsto vento moderado do quadrante sul, tornando-se em geral fraco para o final do dia, sendo nas terras altas forte do quadrante sul, com rajadas até 80 quilómetros por hora até ao final da tarde, tornando-se fraco a moderado para o final do dia.

A previsão aponta ainda para subida da temperatura mínima e descida da máxima.

Em Lisboa as temperaturas vão variar entre 14 e 18 graus Celsius, no Porto entre 14 e 20, em Vila Real entre 12 e 18, em Viseu entre 11 e 16, em Bragança entre 10 e 15, na Guarda entre 10 e 12, em Coimbra entre 14 e 19, em Castelo Branco entre 14 e 17, em Santarém entre 14 e 20, em Évora entre 13 e 20, em Beja entre 13 e 21 e em Faro entre 15 e 20.

Última atualização às 11:58/Com Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • Cinco unidades fabris em Tondela destruídas pelas chamas
    3:06

    País

    As contas finais dos prejuízos na zona industrial de Tondela ainda não são definitivas, mas há cinco unidades fabris que foram atingidas pelas chamas. O aterro sanitário do Planalto Beirão foi também atingido pelo fogo que atravessou Tondela, onde ardeu o equivalente a 20 anos de resíduos orgânicos.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as várias as fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto por mostrar, de forma crua, as consequências das chamas. A foto é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.