sicnot

Perfil

País

Suinicultores revoltados admitem organizar novo protesto

O suinicultor ferido durante os confrontos da madrugada em Alcobaça já recebeu alta hospitalar disse à Lusa João Correia, porta-voz dos manifestantes, admitindo que os protestos vão continuar.

CARLOS BARROSO/ LUSA

"Vamos voltar ao protesto. O tratamento que tivemos ontem (terça-feira) pelas forças da ordem só vem dar ênfase para que as pessoas se manifestem", disse João Correia, acrescentado, no entanto, que a nova manifestação ainda não começou a ser organizada.

O último protesto juntou meia centena de suinicultores desde as 14:00 de terça-feira e terminou por volta das 01:30 de hoje, depois de dois cortes da Estrada Nacional 1, dos quais resultaram duas detenções e um ferido.

Dois manifestantes foram detidos, tendo um deles ficado ferido durante os confrontos com a GNR, cerca das 23:30, durante o segundo corte da estrada, onde os suinicultores despejaram cargas de brita, condicionando a passagem do trânsito.

"A pessoa que ficou ferida já está em casa. Teve alta hospitalar. Ao contrário do que dizem os agentes da autoridade, ele não caiu. Ele foi puxado e agredido diretamente por um agente do Corpo de Intervenção da GNR. Caiu pelo puxão que levou. Além das bastonadas que levou, tem a boca rasgada", disse o porta-voz dos manifestantes.

João Correia afirmou ainda que pediu ao presidente da Federação Portuguesa dos Suinicultores para que os acontecimentos das últimas horas "não passem em claro", considerando que é precisa uma tomada de posição "para a consciencialização" do poder político sobre a "gravidade" dos acontecimentos.

"O ministro da Agricultura assobia para o lado. Temos tentado pedir à Administração Interna para pôr um bocadinho de água fria em cima dos seus homens para que não nos provoquem e o que tem acontecido ultimamente é que temos sido claramente provocados pelas forças da ordem", acrescentou João Correia.

O protesto teve início às 14:00 de terça-feira com a realização de um plenário nas proximidades da Benedita, no concelho de Alcobaça, tendo os produtores de carne de suíno rumaram a Rio Maior, concentrando-se junto à empresa Carnes Nobre, uma das maiores indústrias de produtos transformados.

A concentração decorreu de forma pacífica até às 19:00, hora a que terminou uma reunião entre a administração da empresa e quatro elementos do gabinete de crise, recebidos pelos responsáveis da unidade.

Dois dos manifestantes saltaram o muro e tentaram invadir a fábrica, em confronto com elementos do Pelotão de Intervenção Rápida do Comando Territorial da GNR de Santarém, que desde o início do protesto se encontrava no pátio da empresa.

Os suinicultores, munidos de bandeiras e entoando palavras de ordem a exigir a demissão do Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, deslocaram-se depois para Vendas das Raparigas, na freguesia de Benedita, onde recorreram a camiões para impedir a passagem do trânsito.

Os suinicultores despejaram brita numa das faixas, impedindo o trânsito no sentido sul-norte e durante mais de meia hora os carros circularam de forma bastante lenta, sob orientação da GNR.

Lusa

  • Protesto de suinicultores terminou com dois detidos, um deles ferido
    2:54

    País

    O protesto que juntou meia centena de suinicultores desde as 14:00 de terça-feira terminou hoje por volta das 01:30, depois de dois cortes da Estrada Nacional 1, que resultaram em duas detenções e um ferido. Dois manifestantes foram detidos, tendo um deles ficado ferido durante os confrontos com a GNR, cerca das 23:30, durante o segundo corte da estrada, onde os suinicultores despejaram cargas de brita, condicionando a passagem do trânsito.

  • Tensão entre suinicultores e polícia resulta em dois detidos
    2:11

    País

    A tensão entre os suinicultores e a polícia, na Venda das Raparigas, resultou em dois detidos. Os produtores provocaram problemas no trânsito do IC2 ao colocarem brita na estrada. Os produtores manifestaram-se hoje, em Rio Maior, onde tentaram também invadir as intalações da empresa Nobre.

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.