sicnot

Perfil

País

Cravo oferecido por jovens a Marcelo "simboliza o que falta fazer"

O Presidente da República disse hoje ter trazido um cravo oferecido por jovens que simboliza o que falta fazer passados 42 anos do 25 de Abril de 1974, considerando que houve avanços mas persistem frustrações.

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes/Lusa

Miguel A.Lopes/Lusa

No seu primeiro discurso numa sessão solene comemorativa do 25 de Abril, na Assembleia da República, Marcelo Rebelo de Sousa começou por "saudar os capitães de Abril" - representados nesta cerimónia pela Associação 25 de Abril, depois de quatro anos de ausência em protesto contra as políticas do anterior executivo PSD/CDS-PP.

O chefe de Estado defendeu que "saudar os capitães de Abril é dever de todos os que, em Portugal, se louvam da democracia que o seu gesto patriótico permitiu instaurar", antes de "saudar o povo, que assumiu esse testemunho e o converteu em fundamento do Estado social de direito".

Depois, fez um balanço do período que se seguiu à Revolução dos Cravos, em que falou dos avanços e conquistas, mas também da pobreza e de outros problemas que permanecem e "legitimam queixas e frustrações em muitos portuguesas e portugueses e, em particular, nos mais jovens".

"Como aqueles - do Conselho Nacional de Juventude -, que ontem [domingo] me deram, simbolicamente, este cravo para que, hoje, ao evocar os 42 anos do 25 de Abril, não me esquecesse do muito que está por fazer", acrescentou, erguendo por momentos esse cravo.

Lusa

  • Quartel do Carmo aberto ao público
    2:32

    País

    O momento chave da revolução de abril sempre foi visto do lado de fora, no Largo do Carmo, em Lisboa. Agora, já é possível ver a história a partir do interior. As portas são abertas ao público, que pode assim conhecer o Museu e as salas do quartel onde caiu o antigo regime. Fernando Otero era alferes da coluna de Salgueiro Maia e chefiava um grupo de combate de 30 homens e, agora, recorda os momentos de tensão até à queda do regime.

  • Museu das Notícias abre portas no dia da liberdade
    2:23

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa inaugurou nos primeiros minutos deste 25 de Abril o Museu das Notícias, em Sintra.Nesta cerimónia estiveram também presentes António Costa e Pedro Passos Coelho. Uma conquista de Abril, na opinião do Presidente da República.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.