sicnot

Perfil

País

Sessão comemorativa do 25 de Abril começa ao som de "Vejam bem" de Zeca Afonso

A sessão solene comemorativa do 25 de Abril começou hoje no parlamento ao som da canção "Vejam bem", de Zeca Afonso, trauteada por alguns deputados e convidados, no hemiciclo decorado com cravos vermelhos.

Miguel A.Lopes/Lusa

Miguel A.Lopes/Lusa

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

Miguel A.Lopes

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou à Assembleia da República pelas 9:45 sem cravo mas entrou já com a flor da revolução na mão direita, assistindo ao início da sessão solene ladeado pelo presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues.

Cinco minutos antes, o primeiro-ministro, António Costa, tinha chegado ao parlamento pontualmente às 9:40, já com o cravo ao peito.

Depois do Hino Nacional, o Orfeon Académico de Coimbra entoou a canção "Vejam Bem", de Zeca Afonso, trauteada por alguns deputados, em ambiente de festa.

Antes da sessão começar, no hemiciclo, decorado com cravos vermelhos nas bancadas da presidência e do Governo, deputados das várias bancadas tiraram fotografias, de cravo na lapela.

Quem não trouxe cravo de casa, podia tirar um do vaso colocado de propósito à entrada do hemiciclo e assistir à sessão já com a flor da revolução ao peito. Foi o caso de alguns ministros, como o das Finanças, Mário Centeno, o da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e o da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

O presidente da Associação 25 de Abril, Vasco Lourenço, e Otelo Saraiva de Carvalho voltaram a marcar presença na sessão solene, à qual assistiram a partir das galerias.

O ex-presidente da República Cavaco Silva, e o general Ramalho Eanes, acompanhados das respetivas mulheres, Maria Cavaco Silva e Manuela Eanes, assistiram à sessão, notando-se a ausência dos antigos presidentes Jorge Sampaio e Mário Soares.

Lusa

  • Drone inglês evita execução do Daesh na Síria
    2:08

    Mundo

    A Força Aérea britânica divulgou esta terça-feira um vídeo que mostra um drone a parar uma execução pública que estaria prestes a acontecer às mãos do Daesh, na Síria. As imagens, apesar de cortadas pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, mostram várias pessoas na rua, uma explosão e, depois, a fuga.

  • Atrás das Câmaras em Fátima
    2:48
  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15
  • PS quer reconquistar poder em Vila Viçosa
    2:06

    Autárquicas 2017

    Ana Catarina Mendes insistiu na ideia de que o PSD escolheu um modo perigoso de fazer campanha, ao insistir nas críticas à lei da imigração. Ana Catarina Mendes, secretária-geral adjunta do PS, esteve esta quarta-feira em campanha no distrito de Évora.

  • Troca de argumentos entre Medina e Cristas marca campanha em Lisboa
    2:34

    Autárquicas 2017

    Esta quarta-feira o dia de campanha em Lisboa ficou marcado por uma troca de argumentos entre Fernando Medina e Assunção Cristas. O atual presidente da Câmara acusa a candidata do CDS de não respeitar os lisboetas por admitir que pode não exercer o cargo de vereadora até ao fim do mandato. Já Assunção Cristas garante que se for eleita cumpre o mandato até ao fim.

  • "Não toleramos ameaças de ninguém"
    2:13
  • Número de tartarugas marinhas está a aumentar

    Mundo

    O número de tartarugas marinhas está a crescer, levando investigadores a considerar que os esforços para salvar estes animais são uma "história de sucesso da conservação global", indica um estudo divulgado esta quarta-feira.

  • Tubarões vivem mais tempo do que se pensava

    Mundo

    Uma revisão de dados sobre avaliação da idade dos tubarões revela que muitas espécies têm maior longevidade do que se pensava, o que poderá obrigar a uma revisão dos planos de conservação das mais ameaçadas.

  • Como mudar um templo com 135 anos e 2 mil toneladas... de lugar

    Mundo

    Um templo budista do século XIX é um dos mais populares em Xangai, na China. Visitado diariamente por milhares de pessoas, precisava de ser relocalizado para evitar que uma tragédia acontecesse. E mesmo pesando cerca de duas mil toneladas, a missão acabou por se provar possível.

  • Casal morre com horas de diferença depois de 75 anos de casamento

    Mundo

    George e Jean Spear morreram no passado dia 15 de setembro, no hospital de Queensway Carleton, em Ottawa (Canadá), depois de terem celebrado 75 anos de casamento em agosto. A britânica de 94 anos conheceu o candaniano em 1941, num salão de bailes, em Londres. George Spear servia as Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial.

    SIC