sicnot

Perfil

País

Mais de quatro mil taxistas ameaçam bloquear o trânsito em Lisboa

Os taxistas vão protestar novamente contra a Uber. Esta sexta-feira haverá uma marcha lenta em Portugal, que promete causar o caos no trânsito. Os taxistas esperam uma participação de mais de quatro mil carros na capital, dois mil no Porto e quinhentos em Faro. Em Lisboa, vão concentrar-se às oito da manhã junto ao Campus da Justiça, no Parque das Nações.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Os taxistas seguem depois pelo aeroporto, Campo Grande, Avenida da República, Avenida Fontes Pereira de Melo, Avenida da Liberdade, Rossio, Câmara de Lisboa, 24 de julho, D. Carlos I e Assembleia da República. O objetivo é serem ouvidos pelos partidos com assento parlamentar.

No Porto, a concentração começará às nove horas, junto ao Castelo do Queijo, com destino à Câmara Municipal, onde vão ser recebidos pelo presidente Rui Moreira.

Em Faro, vão juntar-se no Estádio do Algarve, passar pelo aeroporto e parar junto à Câmara Municipal, onde também esperam ser recebidos.

Os carros vão circular com autocolantes e bandeiras com palavras de ordem como "A Uber é ilegal" ou "A Uber é crime nacional".

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • André Ventura rejeita acusações de xenofobia
    1:27

    País

    O candidato do PSD à Câmara de Loures diz que tocou num tema que as pessoas queriam discutir. Entrevistado na SIC Notícias, André Ventura insiste que as declarações que fez sobre a comunidade cigana não são xenófobas ou racistas.

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.