sicnot

Perfil

País

Morreu Rui d'Espiney, um dos fundadores do movimento maoista em Portugal

Rui d'Espiney, militante anti-fascista e co-fundador de dois movimentos comunistas maoista, de cisão no PCP, em 1964, morreu hoje aos 73 anos, em Setúbal, disse à agência Lusa fonte familiar.

esquerda.net

Nascido em Moçambique, foi um dos fundadores, em 1964, da Frente de Acção Popular (FAP) e do Comité Marxista-Leninista Português (CM-LP), juntamente com outro ex-cmunista, Francisco Martins Rodrigues, que resultou de uma cisão no PCP e que defendia a luta armada contra a ditadura.

Rui d'Espiney foi militante do PCP até 1962, tendo abandonado o partido na mesma altura em que Francisco Martins Rodrigues, no centro da primeira cisão maoista no movimento comunista português.

Quando se deu o 25 de Abril, que derrubou a ditadura em 1974, Rui d'Espiney e Francisco Martins Rodrigues estavam presos, desde 1965, sendo torturado pela PIDE, a polícia política.

Uma das suas últimas entrevistas foi para o site da RTP sobre a história da extrema-esquerda em Portugal, em que revisita a formação da FAC, CM-LP, fala da denuncia do infiltrado que o levou à prisão e recorda a tortura de que foi alvo pela polícia política.

Após a revolução, Rui d'Espiney, que faria 74 anos em agosto, afastou-se da política ativa e vivia atualmente em Setúbal, dedicando-se ao ensino, através de uma associação -- o Instituto das Comunidades Educativas.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47