sicnot

Perfil

País

Inverno 2015/2016 foi o mais quente dos últimos 18 anos

O inverno 2015/2016 (dezembro, janeiro e fevereiro) em Portugal continental foi o mais quente dos últimos 18 anos e o terceiro desde 1931, segundo o Boletim Climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

reuters

De acordo com o documento disponível hoje na página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet, o inverno 2015/16 classificou-se como muito quente em relação à temperatura e normal quanto à quantidade de precipitação.

"A temperatura média no trimestre foi de 10,90 graus Celsius, superior em 1,25 graus Celsius relativamente ao normal, sendo o terceiro inverno mais quente desde 1931 e o mais quente dos últimos 18 anos", indicou o IPMA.

Os dados indicam também que os valores só foram superiores nos invernos de 1990 (11,13 graus) e em 1998 (11,02 graus).

"Os valores médios da temperatura máxima e mínima do ar também foram superiores aos valores normais. O valor da temperatura máxima foi o terceiro mais alto desde 1931 e o mais elevado desde 2000. A mínima foi a sétima mais alta desde 1931 e a mais elevada dos últimos 15 anos", segundo o boletim.

No que diz respeito à precipitação, o instituto avançou que "o valor médio da quantidade no trimestre (414,0 milímetros) foi superior ao valor médio correspondendo a 117% do valor normal".

O IPMA destacou no boletim que o mês de janeiro foi o "mais chuvoso e extremamente quente, sendo o valor médio da temperatura média o terceiro mais alto desde 1931 e o mais elevado dos últimos 50 anos".

"O valor da quantidade de precipitação em janeiro foi superior ao valor normal, sendo o valor mais alto dos últimos 15 anos", é indicado.

O mês de fevereiro, segundo o IPMA, foi "chuvoso e o valor médio da temperatura média do ar foi próximo do valor normal e a precipitação foi superior ao valor normal sendo o terceiro mais alto desde 2000".

No Boletim Climatológico de inverno é também destacado que nos dias 09 e 11 de janeiro ocorreram valores elevados da quantidade de precipitação e de vento forte.

De acordo com o documento, o menor valor da temperatura mínima (-5,2 graus) foi registado a 16 de fevereiro nas Penhas Douradas e o maior valor da máxima (24,7 graus Celsius) ocorreu a 04 de dezembro em Aljezur, distrito de Faro.

O maior valor da quantidade de precipitação em 24 horas (184,2 milímetros) foi registado a 13 de fevereiro em Lamas de Mouro, concelho de Melgaço, distrito de Viana do Castelo.

O instituto adiantou que o maior valor de intensidade máxima do vento (rajada) durante o inverno (118,8 quilómetros por hora) ocorreu em Pedras Rubras, concelho da Maia, distrito do Porto, a 14 de fevereiro passado

  • Governo sírio só aceitará cessar-fogo após retirada de rebeldes
    1:29

    Mundo

    O Presidente sírio Bashar Al- Assad diz que só aceitará um acordo de cessar-fogo em Alepo que inclua a retirada de todos os rebeldes da cidade. Na Alemanha, Merkel considerou que a situação na Síria é vergonhosa devido à incapacidade da comunidade internacional aliviar o conflito.

  • Quando se confunde o pedal do travão com o acelerador
    0:38

    Mundo

    Na China, chegam imagens de um acidente fora do normal. Um homem parou o carro e saiu para cumprimentar um amigo. Enquanto conversavam, a viatura começou a descair lentamente. O condutor correu de imediato para o carro. Com as mãos já no volante, tentou evitar o pior mas em vez de carregar no travão, carregou no acelerador.

  • Como (não) travar no gelo
    1:02

    Mundo

    Um vídeo gravado em Montreal, no Canadá, mostra como é quase impossível travar em estradas cobertas de gelo.