sicnot

Perfil

País

Portugal sinalizou 193 casos suspeitos de tráfico humano em 2015

Os casos suspeitos de vítimas de tráfico de seres humanos em Portugal diminuíram ligeiramente em 2015, quando foram sinalizados 193, menos quatro do que em 2014, segundo o Observatório do Tráfico de Seres humanos (OTSH).

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

O relatório de 2015 daquele organismo tutelado pelo Ministério da Administração Interna (MAI) adianta que das 193 sinalizações, 135 dizem respeito a casos detetados em Portugal e 58 a portugueses residentes no estrangeiro.

Segundo o relatório anual, que a agência Lusa teve acesso, em 2015 registou-se um ligeiro decréscimo do número total de sinalizações (menos quatro), influenciado apenas pelas situações detetadas em Portugal (menos 47 registos), uma vez que mais do que triplicaram as presumíveis situações de tráfico de seres humanos de portugueses no estrangeiro.

No entanto, o número de crimes de tráfico de seres humanos registados pelas autoridades policiais registou um ligeiro aumento, mais cinco registos do que em 2014.

O mesmo documento, publicado na página da internet do OTSH, acrescenta que este crescimento tem sido regular desde 2013, ano em que as polícias registaram 38 crimes, passando para 28, em 2014, e 48 em 2015.

O OTSH ressalva que não se deve realizar uma leitura direta entre o número de crimes registados e as vítimas sinalizadas.

Das 193 sinalizações de 2015, as autoridades confirmaram 32 vítimas de tráfico de seres humanos, encontrando-se as restantes classificadas como "pendente/em investigação, não confirmado, sinalizado e não considerado".

O tráfico para fins de exploração laboral, nomeadamente no setor agrícola, continua a ser a principal forma de exploração sinalizada e com mais vítimas confirmadas.

Em 2015, verificou-se uma diminuição significativa das presumíveis sinalizações de vítimas de tráfico para fins de exploração sexual em Portugal.

O documento indica igualmente que Portugal manteve-se, em 2015, como país de destino (64 por cento do total das sinalizações), mas sem o peso de anos anteriores.

De acordo com o OTSH, do total das 32 vítimas confirmadas o ano passado, 12 encontram-se na categoria de Portugal como país de destino, sendo que 10 reportavam-se a tráfico interno.

O relatório mostra também que a maioria das sinalizações ocorreu nos distritos de Leiria, Lisboa e Évora, com um total de 81 casos referenciados.

No que respeita às vítimas confirmadas, surgem nos primeiros lugares os distritos de Portalegre, Bragança e Lisboa.

O observatório destaca que 65 por cento das situações de exploração laboral ocorrem sobretudos em áreas rurais, enquanto 75 por cento dos registos de exploração sexual surgem essencialmente nas zonas urbanas.

O organismo do MAI refere igualmente que a maioria das vítimas detetadas em Portugal é europeia, destacando-se as 33 de nacionalidade romena, seguindo-se as de origem africana (17), sobretudo da Nigéria (17), e Brasil (oito).

Das 135 sinalizações em Portugal como presumíveis vítimas de tráfico de seres humanos, 18 são menores e 116 são adultos.

Lusa

  • Homem detido por suspeita de tráfico de pessoas
    1:55

    País

    A judiciária do Porto deteve um homem, de 53 anos, de Santa Maria da Feira, por suspeita de tráfico de seres humanos. Na investigação, foram identificadas cinco vítimas de trabalho escravo que eram obrigadas a assaltar casas. Ao que tudo indica, o suspeito aliciava as vítimas com promessas de trabalho na construção civil mas, posteriormente, obrigava-as a trabalhar de dia e roubar à noite.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.