sicnot

Perfil

País

Colégios privados fazem cordão humano contra a alteração dos contratos de associação

Colégios privados fazem cordão humano contra a alteração dos contratos de associação

Esta sexta-feira foi dia de protestos em todo o país com dezenas de colégios privados a participarem num cordão humano. Em Famalicão, Santo Tirso, juntaram-se centenas de alunos, pais e professores que exigem contestam a alteração dos contratos de associação.

  • Estado vai deixar de financiar novas turmas nos colégios privados
    3:36

    País

    A partir do próximo ano letivo, o Ministério da Educação vai deixar de financiar novas turmas em colégios privados totalmente financiados pelo Estado, caso haja vagas na rede pública. A Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo diz que as novas medidas vão levar ao despedimento de 5 mil docentes e não docentes e, a medida vai implicar indemnizações que rondam os 54 milhões de euros. No próximo ano, as escolas privadas com contrato de associação poderão perder 656 turmas.

  • Alunos e professores de colégio privado protestam contra novas regras
    2:01

    País

    Os alunos e professores do Instituto Nun'Alvares, em Santo Tirso, protestaram hoje contra as novas regras dos contratos de associação. A partir do próximo ano letivo, o estado vai deixar de pagar por novas turmas em colégios privados, em regiões onde exista vagas na rede pública. A Associação de Pais está preocupada com a possível interrupção dos ciclos educativos, contudo O Ministério da Educação garante que isso não vai acontecer.

  • Colégios em protesto contra fim do apoio estatal
    2:59

    País

    Os colégios privados estão hoje em protesto contra o fim do apoio do Estado. Alegam que se o dinheiro público acabar, podem ser obrigados a cortar turmas e a despedir pessoal. Em Famalicão e Santo Tirso, por exemplo, o protesto dos colégios privados juntou, esta manhã, centenas de alunos, pais, professores e dirigentes escolares.

  • Colégios privados queixam-se que Governo está a quebrar contrato
    3:19

    País

    A guerra entre o Governo e os colégios privados com contratos de associação volta a acender-se. O Ministério da Educação quer mudar as regras já no próximo ano letivo, reduzindo as turmas financiadas sempre que exista oferta na rede pública, como prevê a lei. As escolas do ensino cooperativo queixam-se que o Governo está a quebrar um contrato, assinado há menos de um ano com o Governo do PSD e com validade de três anos. Rodrigo Queiroz e Melo da Associação Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo dá a sua opinião sobre o assunto.

  • Ministério não volta atrás e vai reduzir turmas dos colégios privados
    2:31

    País

    O Ministério da Educação não vai voltar atrás e garante que no próximo ano vai mesmo reduzir as turmas dos colégios privados financiadas pelo Estado. As escolas com contrato de associação queixam-se de quebra de compromisso com contratos assinanados há menos de um ano pelo Governo do PSD. Cerca de 1700 turmas de 68 escolas. O Estado gastava 80.500€ por turma. Os colégios dizem que vão ser obrigados a despedir, alguns deles podem mesmo fechar.

  • Lesados do Banif confiaram "num sistema que os aldrabou"
    2:00
  • "Octávio Machado foi a terceira escolha" para o cargo
    2:01
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • Direita acusa presidente da Assembleia da República de não estar à altura do cargo
    2:06

    País

    O presidente da Assembleia da República está a ser novamente criticado pela oposição. Numa entrevista à Antena 1, Eduardo Ferro Rodrigues disse que não queria falar sobre o caso Galpgate para não causar espasmos à direita. Na reação, o CDS diz que a segunda figura do Estado deve abandonar as trincheiras partidárias. A direita acusa ainda que o presidente da Assembleia de não estar à altura do cargo.

  • "Sempre me senti em casa em Portugal"
    1:11