sicnot

Perfil

País

Idosa mata colega de quarto com bengala num lar em Ourique

Uma idosa, de 69 anos, matou outra, de 88 anos, com uma bengala, no domingo à noite, no lar da Santa Casa da Misericórdia de Ourique, no Alentejo, disse hoje à agência Lusa fonte da GNR.

Arquivo Reuters

A homicida "agrediu violentamente" a vítima com uma bengala, provocando-lhe a morte, explicou a fonte, precisando que o crime ocorreu cerca das 22:50 de domingo no quarto que as duas idosas partilhavam no lar da Santa Casa da Misericórdia de Ourique, no distrito de Beja.

Segundo a fonte, a GNR deslocou-se ao lar e, por se tratar de um homicídio, entregou o caso à Polícia Judiciária (PJ), que encaminhou a homicida sob custódia para o serviço de psiquiatria do hospital de Beja.

A mesma fonte da GNR disse que se desconhecem, por enquanto, os motivos do homicídio.

Num comunicado enviado à Lusa, a Santa Casa da Misericórdia de Ourique lamenta a morte da idosa, que ocorreu "em circunstâncias ainda não devidamente esclarecidas".

Segundo a Misericórdia de Ourique, a idosa que "alegadamente agrediu mortalmente a vítima estava a ser acompanhada pelo serviço de psiquiatria do hospital de Beja, que lhe concedeu altas consecutivas".

A Santa Casa da Misericórdia de Ourique refere que já disponibilizou apoio psicológico à família da vítima e que, "oportunamente", dará "outros possíveis esclarecimentos" sobre o caso, que "não se encontram em segredo de justiça".

  • Espanha e Portugal a um ponto dos oitavos

    Mundial 2018 / Irão

    A Espanha colocou-se esta quarta-feira a um ponto dos oitavos de final do Mundial 2018 e deixou Portugal em situação idêntica, ao vencer o Irão por 1-0, em jogo do grupo B, disputado em Kazan.

  • E vão quatro de Ronaldo
    1:58
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Lançamento de balões no São João do Porto em risco

    País

    Lançar balões nas festas do São João do Porto pode não ser possível este ano, tudo irá depender das condições atmosféricas. A Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural admitiu, esta quarta-feira, que está a acompanhar a situação mas que ainda nada está decidido.