sicnot

Perfil

País

Banco de Portugal instaurou 283 processos de contraordenação em 2015

O Banco de Portugal instaurou 283 processos de contraordenação em 2015, mais 155 processos do que no ano anterior, divulgou hoje o banco central.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Lusa

No Relatório de Atividades de 2015, o Banco de Portugal diz que "a atividade sancionatória foi particularmente exigente em 2015", o que, segundo a entidade, se deveu ao aumento "expressivo" dos processos de contraordenação instaurados mas também ao facto de ter trabalhado "em processos de especial dimensão e complexidade, que mobilizaram uma parte muito significativa dos recursos afetos à ação sancionatória".

A entidade liderada por Carlos Costa diz que é isto precisamente que explica a diminuição dos processos decididos em 2015, que foi de 82, abaixo dos 99 processos decididos em 2014.

No total, o Banco de Portugal tinha no final do ano passado 372 processos de contraordenação em curso.

Ainda em 2015, foram analisados 33 processos de eventual reavaliação da idoneidade de gestores bancários, o que diz o Banco de Portugal "levaram em alguns casos ao cancelamento do registo para o exercício dos cargos em questão ou à renúncia, por iniciativa dos visados, ao exercício de funções".

Lusa

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.