sicnot

Perfil

País

Banco de Portugal instaurou 283 processos de contraordenação em 2015

O Banco de Portugal instaurou 283 processos de contraordenação em 2015, mais 155 processos do que no ano anterior, divulgou hoje o banco central.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.

Lusa

No Relatório de Atividades de 2015, o Banco de Portugal diz que "a atividade sancionatória foi particularmente exigente em 2015", o que, segundo a entidade, se deveu ao aumento "expressivo" dos processos de contraordenação instaurados mas também ao facto de ter trabalhado "em processos de especial dimensão e complexidade, que mobilizaram uma parte muito significativa dos recursos afetos à ação sancionatória".

A entidade liderada por Carlos Costa diz que é isto precisamente que explica a diminuição dos processos decididos em 2015, que foi de 82, abaixo dos 99 processos decididos em 2014.

No total, o Banco de Portugal tinha no final do ano passado 372 processos de contraordenação em curso.

Ainda em 2015, foram analisados 33 processos de eventual reavaliação da idoneidade de gestores bancários, o que diz o Banco de Portugal "levaram em alguns casos ao cancelamento do registo para o exercício dos cargos em questão ou à renúncia, por iniciativa dos visados, ao exercício de funções".

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.