sicnot

Perfil

País

Infarmed reavalia comparticipação a 115 medicamentos caros e com alternativa

O INFARMED, Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, anunciou esta terça-feira que está a reavaliar as comparticipações de 115 medicamentos, que ou ajustam os preços ou podem perder o atual apoio estatal.

O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam cerca de 54 mil embalagens de medicamentos ilegais

O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam cerca de 54 mil embalagens de medicamentos ilegais

© Mohamed Nureldin Abdallah / RA notícia é avançada pelo Jornal de Notícias. Nos últimos três anos o Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam cerca de 54 mil embalagens. Os remédios são normalmente comprados através da Internet, utilizada por redes mafiosas para chegar aos consumidores. O jornal avança que, de acordo com a Base de Dados Nacional de Notificações de Reações Adversas e Medicamentos, em Portugal não foi identificado nenhum caso de morte após a ingestão dessas substâncias.

Trata-se, segundo um comunicado hoje divulgado, de comparticipações de medicamentos não genéricos (de marca) com um preço 20 por cento superior a alternativas terapêuticas para os mesmos fins e que também não são genéricas.

"Esta reavaliação poderá implicar a descomparticipação destes medicamentos, a menos que os laboratórios que os disponibilizam ajustem os preços até este limite", avisa o INFARMED.

A reavaliação, frisa, vai permitir uma "poupança total de 35,2 milhões de euros por ano, dos quais 21,3 milhões só para os utentes".

Da lista de medicamentos abrangidos fazem parte analgésicos, antidepressivos, antibióticos ou fármacos destinados a doenças cardiovasculares, explica-se ainda no comunicado, no qual se acrescenta que a medida já foi comunicada ao setor e que está prevista no decreto-lei 97/2015.

Lusa

  • Médicos obrigados a justificar receitas
    1:33

    País

    As novas regras do Infarmed obrigam os médicos a justificarem porque receitam alguns medicamentos. Os clínicos vão ter que justificar porque não receitam genéricos. A Ordem dos Médicos está contra e diz que o novo processo retira muito tempo ao atendimento dos doentes.

  • Infarmed manda retirar Locabiosol do mercado

    País

    O medicamento para a pulverização bucal ou nasal Locabiosol (125 microgramas), indicado no tratamento de rinofaringites, vai ser retirado do mercado devido ao risco de reações alérgicas graves, segundo uma circular do Infarmed.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.