sicnot

Perfil

País

Moeda de 7,5 euros que evoca Eusébio entra em circulação na segunda-feira

A moeda de coleção com a efígie do antigo futebolista Eusébio, desenhada por André Carrilho e com valor facial de 7,5 euros, vai ser colocada em circulação na próxima segunda-feira.

BANCO DE PORTUGAL

A data entrada em circulação da moeda, que se integra na série "Ídolos do Desporto", foi publicada hoje em Diário da República.

Segundo o Banco de Portugal, "a distribuição da moeda ao público será efetuada através das instituições de crédito e das tesourarias do Banco de Portugal".

A moeda, produzida em cuproníquel, apresenta numa das faces a figura de Eusébio em movimento de remate, e na outra a representação do busto do antigo futebolista, orlada com as legendas laterais Eusébio e Portugal 2016.

Eusébio da Silva Ferreira, que representou o Benfica entre 1960 e 1975, morreu a 5 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.

A 3 de julho de 2015, os seus restos mortais foram transladados para o Panteão Nacional.

Ao serviço do Benfica conquistou, entre outros títulos, 11 campeonatos nacionais e uma Taça dos Campeões Europeus. O "Pantera Negra" como ficou conhecido, ganhou uma Bola de Ouro e duas Botas de Ouro.

No Mundial Inglaterra de 1966, em que Portugal terminou na terceira posição, foi o melhor marcador, com nove golos.

Com Lusa

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.