sicnot

Perfil

País

BE promove debate sobre praxes académicas com próximo ano letivo em vista

O Bloco de Esquerda (BE) promove na sexta-feira no parlamento um debate sobre praxes académicas que pretende arrancar a discussão em torno das propostas legislativas "que devem ser adotadas para o próximo ano letivo sobre" o tema.

"Não queremos atrasar esta discussão, e a verdade é que não estamos adiantados no tempo. Fazer esta discussão agora permite-nos fazer um balanço sobre este ano e projetar medidas de combate à violência na praxe já para o próximo ano letivo", declarou o deputado do Bloco Luís Monteiro em declarações à agência Lusa.

Em fevereiro, o parlamento aprovou um projeto de resolução do BE recomendando ao Governo várias medidas para combater a violência nas praxes académicas, e agora - e até ao arranque do próximo ano letivo - o partido quer "analisar o fenómeno das praxes académicas".

O executivo, diz o bloquista Luís Monteiro, criou já um grupo de trabalho "para fazer um levantamento sobre a realidade da praxe em Portugal", e desse grupo faz parte o sociólogo Elísio Estanque, um dos convidados do debate de sexta-feira.

"Novas iniciativas parlamentares" para "continuar a imprimir uma força no sentido de combater cada vez mais a violência na praxe" darão entrada num futuro próximo, afiança o parlamentar do Bloco.

Nos últimos anos, lembra o partido, "multiplicaram-se os casos vindos de violência associados às praxes de norte a sul do país".

"Alguns destes abusos, relatados pela comunicação social, permitiram dar visibilidade a uma realidade que vai muito para além dos casos conhecidos. O que parecia exceção à regra é afinal a sua própria regra", sustenta o BE no texto de lançamento do debate de sexta-feira.

E concretiza: "A discussão em torno da praxe é, por isso, uma urgência sobre modelos de integração e formas de olhar o mundo e a sociedade e não apenas uma mera vontade de combater este ou aquele ato violento isolado".

O debate promovido pelo BE decorre pelas 15:00 de sexta-feira e contará com intervenções, entre outros, da jornalista Fernanda Câncio, para além do sociólogo Elísio Estanque e do deputado Luís Monteiro.

Associações de estudantes e interessados pelo fenómeno da praxe marcarão também presença no evento.

Lusa

  • Reclusos que fugiram de Caxias tiveram cúmplices
    1:59

    País

    Uma falha de Portugal poderá explicar a libertação de um dos dois chilenos que fugiram de Caxias e foram apanhados em Espanha. As autoridades portuguesas atrasaram-se a enviar o mandado de detenção e a polícia espanhola libertou o fugitivo. Na investigação da fuga, acredita-se que os 3 reclusos tiveram cúmplices e a namorada de um deles já foi interrogada.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.