sicnot

Perfil

País

Acusado de agressões a militares da GNR condenado a sete anos de prisão

Um dos jovens acusados de desobediência e agressões a militares da GNR, após uma festa não autorizada em Cascais, em março de 2015, foi hoje condenado a sete anos de prisão.

(SIC/ Arquivo)

Os restantes acusados foram condenados a pena suspensa.

Os quatro arguidos, com idades entre os 20 e os 23 anos, estavam acusados de desobediência de injúria agravada, resistência e coação, dano e de ofensa à integridade física qualificada. Dois deles respondiam ainda por homicídio qualificado tentado.

Segundo o acórdão, hoje proferido pela juíza presidente do coletivo no Tribunal de Cascais, um dos arguidos - que está detido preventivamente há um ano -, foi condenado a sete anos de prisão.

A juíza considerou que ficou provado que o arguido cometeu todos os crimes de que estava acusado, tendo-lhe sido aplicada uma pena de quatro meses de prisão por desobediência, dois meses por injúrias agravadas, três anos por resistência e coação, seis anos por tentativa de homicídio qualificado e um ano e quatro meses por ofensas à integridade física qualificada.

Em cúmulo jurídico, o arguido foi condenado a sete anos de prisão e ao pagamento de uma indemnização ao GNR agredido superior a 15 mil euros.

O advogado deste arguido, Nuno Abreu Miranda, mostrou-se surpreendido com a sentença e considerou a pena "pesada", admitindo a possibilidade de recurso.

Os restantes três arguidos que respondiam neste processo foram também condenados, mas com penas suspensas.

Um deles, que estava também acusado de homicídio qualificado tentado, foi absolvido desse crime, tendo sido condenado apenas por resistência e coação, numa pena de um ano e quatro meses.

Outro dos arguidos foi condenado a quatro anos e outro a quatro meses, ambos com penas suspensas.

Os factos ocorreram na madrugada de 22 de março de 2015, quando a GNR se deslocou ao Bairro da Cruz Vermelha, em Cascais, para pôr fim a uma festa, após queixas de barulho.

Segundo o despacho de acusação do MP, dois dos sete militares da GNR que se deslocaram ao local foram agredidos com murros e atingidos com um pé de cabra, na cabeça e noutras partes do corpo, por dois dos arguidos.

Em consequência dos confrontos e das agressões, um dos militares "ficou totalmente incapacitado para o trabalho durante 73 dias" e o outro "esteve dez dias impossibilitado de trabalhar".

Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC