sicnot

Perfil

País

Marcelo deixa Berlim "muito satisfeito" após "compreensão" revelada por Merkel

Marcelo deixa Berlim "muito satisfeito" após "compreensão" revelada por Merkel

O Presidente da República afirmou hoje que deixa Berlim "muito satisfeito", designadamente após a conversa com a chanceler Angela Merkel, que revelou "abertura" e "sinais de compreensão, e não preocupação" relativamente a Portugal.

"Vou satisfeito com aquilo que senti e que ouvi da parte da chanceler Angela Merkel, e portanto acho que valeu a pena a visita, valeu muito a pena a visita. E valeu a pena verificar que a chanceler acompanha, e acompanha bem, o que se passa em Portugal. Compreende bem o que se passa em Portugal", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionado sobre se sai de Berlim com a garantia de que a Alemanha estará ao lado de Portugal quando chegar a altura de decidir eventuais sanções a Portugal devido ao défice, o chefe de Estado disse que não pode "falar pelo governo alemão", mas a sua "interpretação é que correu muitíssimo bem, em particular a conversa com a chanceler Angela Merkel, melhor do que teria esperado".

"Saio daqui com a noção de que há uma compreensão muito clara do que se passa em Portugal e ficou reforçada essa compreensão depois das conversas havidas", declarou, no final de uma visita oficial à Alemanha, que teve como principal propósito sensibilizar as autoridades alemãs para a "injustiça" que constituiria a aplicação de sanções a Portugal.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.