sicnot

Perfil

País

Marcelo deixa Berlim "muito satisfeito" após "compreensão" revelada por Merkel

Marcelo deixa Berlim "muito satisfeito" após "compreensão" revelada por Merkel

O Presidente da República afirmou hoje que deixa Berlim "muito satisfeito", designadamente após a conversa com a chanceler Angela Merkel, que revelou "abertura" e "sinais de compreensão, e não preocupação" relativamente a Portugal.

"Vou satisfeito com aquilo que senti e que ouvi da parte da chanceler Angela Merkel, e portanto acho que valeu a pena a visita, valeu muito a pena a visita. E valeu a pena verificar que a chanceler acompanha, e acompanha bem, o que se passa em Portugal. Compreende bem o que se passa em Portugal", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Questionado sobre se sai de Berlim com a garantia de que a Alemanha estará ao lado de Portugal quando chegar a altura de decidir eventuais sanções a Portugal devido ao défice, o chefe de Estado disse que não pode "falar pelo governo alemão", mas a sua "interpretação é que correu muitíssimo bem, em particular a conversa com a chanceler Angela Merkel, melhor do que teria esperado".

"Saio daqui com a noção de que há uma compreensão muito clara do que se passa em Portugal e ficou reforçada essa compreensão depois das conversas havidas", declarou, no final de uma visita oficial à Alemanha, que teve como principal propósito sensibilizar as autoridades alemãs para a "injustiça" que constituiria a aplicação de sanções a Portugal.

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Admirável mundo novo
    16:17