sicnot

Perfil

País

Rui Fiolhais é o novo presidente do Instituto da Segurança Social

O ministro Vieira da Silva nomeou hoje Rui Fiolhais como presidente do Conselho Diretivo do Instituto da Segurança Social (ISS), sucedendo no cargo a Ana Clara Birrento, anunciou o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

O novo Conselho Diretivo do ISS, que substitui o anterior que foi dissolvido no domingo, é composto por dirigentes em regime de substituição até à conclusão do concurso que vai decorrer, segundo o Ministério da Segurança Social.

Rui Fiolhais, nascido em 1967, é licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra (1991) e mestre em políticas e gestão de recursos humanos pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (1995).

O novo presidente do ISS é quadro superior do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (1992-2016), tendo o Curso de Alta Direção em Administração Pública (CADAP).

No âmbito do setor público exerceu funções dirigentes como Gestor do Programa Operacional Potencial Humano, foi vice-presidente do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, chefe do gabinete do Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social e foi subdiretor-geral do Departamento de Estudos, Estatística e Planeamento do Ministério da Segurança Social e do Trabalho, entre outros cargos.

O novo conselho diretivo do ISS é ainda composto por Gabriel Bastos, nomeado vice-presidente, Noémia Silva Goulart e Sofia Borges Pereira, vogais.

Nascido em 1973, Gabriel Bastos é licenciado em Direito e pós-graduado em Ciências Jurídico-Administrativas pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

É quadro superior da Direção Geral da Segurança Social (desde 2012), onde desempenhou funções na área da negociação e coordenação de instrumentos internacionais, refere o comunicado do gabinete do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social destaca, no comunicado, "o excelente curriculum profissional e académico destes novos dirigentes, assim como a sua extensa experiência e conhecimento do sistema de segurança social, em geral, e do Instituto da Segurança Social, em particular".

Num comunicado divulgado na semana passada, o ministério explica que a mudança de direção deveu-se à necessidade de dar "uma nova orientação à gestão do Instituto de Segurança Social", de modo a cumprir os objetivos definidos no Programa do Governo relativamente à promoção da coesão social.

"Tal mudança de estratégia apenas será possível de concretizar imprimindo uma nova orientação à gestão do Instituto da Segurança Social, I.P., a qual passa, incontornavelmente, pela alteração da composição do Conselho Diretivo, de forma a conferir uma nova dinâmica à prossecução das prioridades e objetivos ora delineados para esta área de atuação", refere o comunicado.

Os anteriores membros do Conselho Diretivo do ISS encontravam-se nomeados desde julho de 2015, por despachos do anterior Governo.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.