sicnot

Perfil

País

Congresso do PS conta com Schulz e Stanishev

O 21.º Congresso Nacional do PS, entre sexta-feira e domingo, em Lisboa, vai contar com intervenções do presidente do Parlamento Europeu, o alemão Martin Schulz, e do presidente do Partido Socialista Europeu, o búlgaro Sergei Stanishev.

Segundo o programa final do evento, a iniciativa "portas abertas" - uma série de pequenos debates temáticos - estende-se entre a tarde de sexta-feira e a manhã de sábado. Um dos "painéis" conta com a participação do militante do PSD Pacheco Pereira, ex-líder parlamentar social-democrata e comentador político, e da antiga deputada do BE Ana Drago, agora membro da plataforma cidadã Livre/Tempo de Avançar.

O reeleito secretário-geral do PS (mais de 95%), agora primeiro-ministro, após ter conquistado a liderança do partido a António José Seguro, há dois anos, vai dirigir-se aos congressistas logo na sexta-feira, pelas 22:00, antecedido pelo dirigente nacional Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República.

A partir das 21:00, já com as eleições para presidente do partido, para a Mesa e para as comissões de Verificação de Poderes e de Honra resolvidas, os discursos vão começar com o coordenador da concelhia de Lisboa, Duarte Cordeiro e o presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa, Marcos Perestrello, secretário de Estado da Defesa Nacional.

Antes, entre as 17:30 e as 19:30, num hotel da Parque Expo, contíguo à Feira Internacional de Lisboa, vão decorrer os referidos fóruns específicos: "Educação para todos numa sociedade incertezas" (Alberto Eduardo da Silva e Melo, Maria Emília Brederode Santos, Paulo Pedroso, Pedro Abrantes e Ana Maria Bettencourt), "Por uma política cultural para o Século XXI" (Vânia Rodrigues, Vítor Aleixo, Zia Soares e António Pinto Ribeiro).

Outras discussões em curso serão "Economia: crescimento com salários condignos" (Fortunato Frederico, Gonçalo Rebelo de Almeida, Virgílio Bento, José António Barros, Sandro Mendonça e João Galamba), "Governo de Esquerdas: a importância das alianças sociais e políticas" (André Freire e Tiago Fernandes), "Quatro défices da sociedade portuguesa: a resposta socialista" (Luís Rothes, Francisca Oliveira, Maria Luísa Pinto e Ana Pinto).

Sábado, pelas 09:30, haverá o debate "Socialismo Democrático: Que futuro?", com Ana Drago, Pacheco Pereira e o eurodeputado socialista Pedro Silva Pereira, moderados pelo jornalista do Expresso Nicolau Santos.

No segundo dia de trabalhos, além das intervenções de Schulz e Stanishev, os 1.729 delegados eleitos e outros participantes vão poder ouvir o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, e o presidente do PS e líder parlamentar, Carlos César, ainda pela manhã, seguindo-se, à tarde, o debate sobre as moções de estratégia globais "Cumprir a Alternativa, Consolidar a Esperança" (António Costa) e "Resgatar a Democracia" (Daniel Adrião), bem como a apresentação, discussão e votação da proposta de revisão dos Estatutos do PS.

Domingo, entre as 9:30 e as 11:30, realizam-se as votações para a eleição dos órgãos nacionais da Comissão Nacional, da Comissão Nacional de Jurisdição e, por fim, da Comissão Nacional de Fiscalização Económica e Financeira. As moções setoriais são depois apresentadas antes do anúncio dos resultados e a intervenção final do líder socialista, que está prevista para cerca das 12:30.

Lusa

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.