sicnot

Perfil

País

Presidente da República diz que é preciso evitar juízos negativos sobre envelhecimento

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que é preciso evitar a incompreensão, a censura e os juízos negativos sobre o envelhecimento.

M\303\201RIO CRUZ

"Há que evitar na sociedade portuguesa uma espécie de censura, de juízo negativo, associado ao envelhecimento e associado aos idosos e associado à chamada terceira e quarta idade. Nada como perceber que o envelhecimento é um fenómeno natural das pessoas, [tal] como das sociedades", afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa falava no Fundão, distrito de Castelo Branco, durante a sessão de encerramento do Congresso Nacional das Misericórdias, que teve como tema central o envelhecimento ativo.

Durante a intervenção, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que é preciso evitar "os riscos de incompreensão" do envelhecimento e promover a o equilíbrio intergeracional.

Lembrando a sua experiência partidária, o chefe de Estado recordou que, por exemplo, nas juventudes partidárias por vezes se considera que os mais velhos devem abandonar os lugares que ocupam e que, do outro lado, há também quem, por vezes, olhe com suspeição para os mais jovens.

Ora, "não faz sentido este entendimento", disse.

"Todos somos comunidade, todos somos Portugal, todos temos um papel a desempenhar", fundamentou.

Marcelo Rebelo de Sousa vincou que, na sociedade, há problemas a enfrentar, que não se podem agravar com "pressuposições e preconceitos culturais".

O presidente da República sublinhou que a "justiça intergeracional" tem de se fazer nos dois sentidos, até porque "as crianças e jovens de hoje serão também pais, avôs, bisavôs e trisavôs".

"Em termos de reciprocidade é importante, obviamente, garantir na sustentabilidade social o futuro daqueles que ainda hoje não existem, mas é também de respeitar a situação específica daqueles que existem e que foram jovens, como foram crianças, e que tiveram um contributo na sociedade de hoje", acrescentou.

Na sessão, Marcelo Rebelo de Sousa também não esqueceu o papel das misericórdias, em cujas funções não acredita que possam ser substituídas pelos privados ou mesmo pelo Estado.

Explicando que por vezes "fruto da ignorância do papel" destas instituições, surgem dúvidas sobre as mesmas, referiu que uma das questões se prende com a possibilidade de substituição pelo setor privado lucrativo: "A resposta é simples, não, não pode. Não tem podido e não pode".

"O setor privado lucrativo tem uma função importante a desempenhar em Portugal, mas há áreas de ação social em que é imprescindível o papel das misericórdias", fundamentou, considerando que tal também se aplica à eventual substituição por outras instituições do setor social ou mesmo pelo Estado.

Lusa

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.