sicnot

Perfil

País

Mais acidentes rodoviários mas menos mortos em 2016

Os acidentes rodoviários provocaram este ano 159 mortos, menos 40 do que em igual período de 2015, mas os desastres aumentaram 7%, indicou hoje a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

(Arquivo)

(Arquivo)

A ANSR, que reúne dados da PSP e da GNR, adianta que, entre 1 de janeiro e 31 de maio, ocorreram 52.071 acidentes rodoviários, mais 3.453 do que no mesmo período de 2015, quando se registaram 48.618.

Segundo a Segurança Rodoviária, os 52.071 acidentes provocaram 159 mortos nos cinco primeiros meses do ano, significando uma redução de 20% face a período idêntico do ano passado.

Os distritos com mais mortos nas estradas são Lisboa (24) e Aveiro (17).

Já os distritos com menos vítimas mortais este ano são a Guarda e Viana do Castelo, cada um deles com um morto registado.

A ANSR refere igualmente que 746 pessoas ficaram gravemente feridas entre janeiro e maio, menos 107 do que no mesmo período do ano passado.

Por sua vez, os feridos ligeiros aumentaram este ano, com um registo de 14.794 pessoas, mais 317 do em que em igual período de 2015.

Os dados da ANSR dizem respeito aos mortos cujo óbito ocorreu no local do acidente ou a caminho do hospital.

Lusa

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.