sicnot

Perfil

País

Governo quer facilitar voto antecipado a todos os eleitores

O Governo quer permitir que o eleitor possa votar antecipadamente nas eleições, à exceção das autárquicas, em qualquer local, sem necessidade de justificar a indisponibilidade no dia do sufrágio, perante a administração eleitoral.

M\303\201RIO CRUZ

Em entrevista à agência Lusa, a secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Isabel Oneto, avançou que o voto antecipado em mobilidade visa "facilitar o direito de voto" e "aumentar a participação dos eleitores" em todas as eleições, à exceção das autárquicas.

Segundo Isabel Oneto, este sistema não pode ser desenvolvido nas autárquicas, porque são eleições "muito regionais".

"Permite uma maior motivação e mobilização do eleitor", disse a secretária de Estado, adiantando que o voto antecipado possibilita ao cidadão exercer o seu direito no local onde se encontra.

"O que procuramos fazer foi eliminar os requisitos objetivos para o voto antecipado, ou seja, o eleitor pode votar sem ter de justificar, perante a administração eleitoral, qual a razão de não estar junto da sua assembleia de voto no dia das eleições", afirmou.

Isabel Oneto explicou que o eleitor passa "apenas a ter de comunicar à administração eleitoral que não está no dia das eleições na sua assembleia de voto e dizer onde quer votar no domingo anterior, sete dias antes das eleições".

Além de não ter de justificar a ausência no dia das eleições, outras das novidades é alargar a todos os eleitores a possibilidade de votar antecipadamente, pondo fim às restrições ao voto antecipado.

"Até agora só podiam votar antecipadamente aqueles que tivessem determinadas categorias de eleitores e que justificassem, perante a administração eleitoral, a razão pela qual não estavam junto da assembleia de voto no dia das eleições. Eliminamos os requisitos objetivos e consideramos que qualquer cidadão que se encontre ausente da sua assembleia de voto, no dia das eleições, deve ser-lhe permitido exercer o direito de voto", sustentou.

Para votar antecipadamente, o eleitor tem de se registar numa plataforma eletrónica, entre o 14.º e 10.º dia anterior ao da eleição, e indicar qual a mesa de voto antecipada. O ato de votar realiza-se sete dias antes das eleições.

Os envelopes com os votos são entregues à força de segurança local onde se realizou o voto antecipado, que os distribuirá pelas mesas de voto onde estão recenseados os eleitores que votaram antecipadamente.

Se o eleitor não votou antecipadamente, apesar de estar registado, pode dirigir-se à sua mesa de voto e exercer o direito de voto no dia de eleições.

Isabel Oneto disse também que esta alteração às leis eleitorais, uma medida prevista no programa Simplex, "garante todos os princípios constitucionais", designadamente liberdade no exercício do voto, confidencialidade e unicidade.

"É uma medida que apenas visa facilitar o direito de voto, é uma medida que está no programa do Governo, [uma medida] que nós cumprimos, procurando precisamente motivar os eleitores para a sua participação nos atos eleitorais", sustentou.

Isabel Oneto anunciou ainda que está também previsto a introdução do boletim de voto para invisuais.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.