sicnot

Perfil

País

Homem acusado de violência doméstica em Coimbra condenado a seis anos de prisão

Um homem de 36 anos de Coimbra que era acusado de violência doméstica contra a ex-companheira e filha e de incêndio na casa das vítimas foi condenado hoje a seis anos de prisão efetiva.

O homem foi condenado pelos cinco crimes de que vinha acusado (dois de incêndio, dois de violência doméstica e um de dano) pelo Tribunal de Coimbra, bem como ao pagamento de uma indemnização de 2.000 euros à ex-companheira e 1.000 euros à filha.

A juíza que presidia ao coletivo recordou que o arguido já tinha antecedentes criminais, nomeadamente violação, incêndio e furto qualificado.

Durante o julgamento, ficou provado que o homem tem "imputabilidade diminuída".

O próprio Ministério Público, na acusação a que agência Lusa teve acesso, referiu que o indivíduo tinha uma "debilidade mental ligeira" e problemas de adição alcoólica.

Até trânsito em julgado, o arguido vai permanecer em prisão preventiva, determinou a juíza.

De acordo com a acusação, o homem viveu com a companheira entre 2002 e 15 de julho de 2014 e da relação nasceu uma menina, a 28 de maio de 2004.

Ao longo dos anos, a relação foi "pautada de grande instabilidade", com discussões, separações e reconciliações, tendo o indivíduo ameaçado por diversas vezes matar a mulher e agrediu-a na barriga e na cara, quando esta estava grávida da filha do casal.

Em setembro de 2014, depois da separação definitiva, terá ameaçado a ex-companheira por telefone e, numa discussão em casa das vítimas, agarrou numa botija de gás que se encontrava na cozinha e disse que iria pôr fogo à casa.

A ofendida acabou por conseguir fugir com a filha, refugiando-se na residência de uma amiga, mas, no dia seguinte, segundo o MP, o homem entrou na habitação e abriu os quatro bicos do fogão para libertar gás, sem qualquer chama.

A polícia acabou por ser chamada ao local.

No mesmo dia, o arguido voltou a dirigir-se à residência e terá deitado fogo, com recurso a gasolina, a peças de roupa e a um colchão nas traseiras da habitação, provocando um incêndio que danificou a casa.

Foi necessária a presença de três viaturas e 13 operacionais dos Bombeiros de Coimbra para extinguir o fogo.

Já em 2015, voltou a ameaçar a ex-companheira, tendo encontrado o centro de acolhimento familiar onde esta residia.

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.