sicnot

Perfil

País

Municípios defendem redução de número de alunos por turma

A Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) defendeu hoje a redução do número de alunos por turma e a promoção do sucesso escolar, e anunciou ter elaborado um parecer nesse sentido.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

Em comunicado divulgado hoje, a associação que representa os 308 municípios nacionais diz ter aprovado um parecer "genericamente favorável às iniciativas legislativas que apresentam propostas de progressiva redução do número de alunos por turma e da promoção do sucesso escolar".

"O parecer da ANMP lembra, também, que a redução do número de alunos por turma tem de ser acompanhada pela atualização dos rácios de pessoal não docente e pela constituição de um quadro estável deste pessoal fundamental para o acompanhamento dos alunos", adianta.

A ANMP defende ainda a correção de assimetrias no investimento educativo, considerando que a educação "é uma prioridade política", quer para aquela associação, quer para cada uma das autarquias por si representadas, e que as realidades municipais são distintas.

"Em suma, os municípios, no âmbito da reforma do Estado, reafirmam que estão disponíveis para assumirem novas competências na área da educação, desde que a descentralização seja universal, isto é, seja feita para todos os municípios em igualdade de circunstâncias", assegura.

No comunicado, o conselho diretivo da ANMP manifesta ainda "preocupação" com os projetos de combate ao abandono escolar, lembrando que esta matéria está prevista na contratualização nos Pactos para o Desenvolvimento e Coesão Territorial, ao qual foram alocados 134 milhões de euros de verbas nacionais e no âmbito dos quais "há entidades intermunicipais já a desenvolver trabalho de planeamento".

A ANMP alega que o Governo tem apresentado o "Plano para o Sucesso Educativo", prevendo a utilização dessas verbas alocadas aos Pactos - cuja proposta de modelo de governação, explica, coloca as entidades intermunicipais e as autarquias como "equipa de implementação" sob coordenação dos Agrupamentos de Escolas - e quer ser esclarecida sobre o assunto.

"As verbas estão contratualizadas no âmbito dos Pactos e são destinadas à operacionalização das Estratégias Integradas de Desenvolvimento Local, já apresentadas pelas Comunidades Intermunicipais (CIM) e pelas Áreas Metropolitanas (AM) e já aprovadas pelas Autoridades de Gestão, tendo sido pensadas e dinamizadas ao nível local e tendo, portanto, especificidades próprias em termos socioculturais e demográficos", avisa.

No texto do comunicado, o conselho diretivo da ANMP reafirma a preocupação manifestada na terça-feira aos jornalistas pelo presidente da associação e autarca de Coimbra, Manuel Machado, e quer ver esclarecida a situação do financiamento da contrapartida pública nacional relativa às obras nas escolas públicas.

Em declarações no final da reunião da direção da ANMP, Manuel Machado acusou o Ministério da Educação de chantagem relacionada com obras em escolas propriedade do Estado, alegando que as autarquias estão a ser chamadas a custear intervenções que não são sua responsabilidade.

Em causa, frisou, está a contrapartida nacional de 15% - num investimento total para a requalificação de escolas secundárias da rede pública que disse ser de 143 milhões de euros e que hoje o comunicado da ANMP corrige para os 271 milhões - que, de acordo com Manuel Machado, é da responsabilidade do Governo central e não das autarquias, as quais, no entanto, têm sido chamadas a custear a totalidade ou parte daquela contrapartida.

Na altura, Manuel Machado disse que tem havido "um procedimento estranho, desconforme" com o que foi assumido pelo primeiro-ministro, António Costa, e pelo Governo, com quem ficou acordado que a contrapartida pública nacional da requalificação de escolas da rede pública seria assumida pelo Orçamento do Estado ou por fundos próprios estatais e não pelas autarquias.

Lusa

  • "Se Portugal não confia no sistema judicial de Angola não deve fazer negócios com o país"
    18:27

    País

    O julgamento do caso Fizz arrancou esta segunda-feira. Victor Silva, diretor do Jornal de Angola, esteve na Edição da Noite para analisar como estão as relações entre Portugal e Angola, numa altura em que Manuel Vicente viu recusada a transferência do processo para o país angolano. Victor Silva afirmou que a decisão de "separar os processos vai de encontro aos interesses dos dois estados" e vai mais longe ao dizer que se Portugal "não confia no sistema judicial de Angola então não pode fazer negócios com o país".

  • Obras no Estádio do Estoril já começaram

    Desporto

    A Câmara de Cascais emitiu esta segunda-feira um comunicado a informar que já começaram os trabalhos no Estádio do Estoril e que, segundo a autarquia, seguem as recomendações do Laboratório Nacional de Engenharia Civil.

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • O jogador de futebol que se tornou Presidente de um país

    Mundo

    George Weah tomou posse esta segunda-feira como Presidente da Libéria. Foi a segunda vez que o antigo futebolista concorreu ao cargo, depois de em 2005 ser derrotado pela candidata Ellen Johnson-Sirleaf. Foi o primeiro e único futebolista africano a receber uma Bola de Ouro. A história de George Weah também passou por Portugal, onde ficou conhecido pela agressão ao ex-jogador do FC Porto, Jorge Costa, em 1996.

    Ana Rute Carvalho

  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC