sicnot

Perfil

País

Portugal disponível para missão da NATO no Iraque

O ministro da Defesa reafirmou hoje, em Bruxelas, a disponibilidade de Portugal em participar numa possível missão da NATO no Iraque, que não se irá confundir com a ação da coligação contra os extremistas do Daesh.

OLIVIER HOSLET

Perante a possibilidade de uma "futura missão de projeção de estabilidade", Portugal "em princípio, afirmou a sua disponibilidade, para participar", afirmou José Azeredo Lopes, no segundo e último dia de reunião de ministros da Defesa da NATO.

O governante escusou-se a avançar números da eventual participação portuguesa, por, nomeadamente, ainda se desconhecer a "natureza da missão", acrescentando, porém, que "não vai ser uma missão que se confunda com aquilo que está a fazer a coligação anti Daesh".

"Não se devem confundir os dois planos porque senão há sobreposição e há concorrência. Será, sobretudo, como parece estar a desenhar-se, uma missão de projeção de estabilidade, que poderá passar por atividades" como a formação e a logística, disse.

Caso se concretize esta operação, Portugal vai "ponderar, tomando em consideração" os seus constrangimentos e a sua dimensão.

"Mas projetando sempre o nome de Portugal na organização, até porque isso é também uma forma de projetarmos o país nas relações externas", resumiu.

No mesmo local, a 20 de maio, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, tinha afirmado o apoio de Portugal a uma eventual decisão da NATO de aumentar as capacidades de formação no Iraque, onde estão 32 militares portugueses em serviço.

Portugal "exprimiu a sua disponibilidade para apoiar um novo passo, se a NATO entender fazê-lo, na cimeira de Varsóvia", que passa por aumentar as capacidades de formação no interior do país, "mais uma vez a pedido das autoridades iraquianas", afirmou o governante.

Sobre o envio de forças nacionais para a República Centro Africana, o ministro da Defesa justificou hoje com o facto de ter sido a França a solicitar o apoio da comunidade internacional para missões de combate ao terrorismo transnacional e por ser uma operação de "segurança e de reforço de segurança da missão da União Europeia".

"E porque corresponde a uma opção da política externa portuguesa, muito consolidada, e que resulta do próprio programa de Governo que é um certo regresso à Organização das Nações Unidas", disse.

"Há uma dimensão de segurança, há uma dimensão de projeção de estabilidade e há uma dimensão que, de forma indireta, permitimos que outro país possa alocar recursos a um combate mais tradicional, infelizmente, na Síria e um combate, menos tradicional, em que procuramos ser mais eficientes o terrorismo transnacional", referiu.

Nesta reunião na sede da NATO, em Bruxelas, Portugal argumentou ainda a "posição de equilibro" que deve haver entre a zona Leste e a zona Sul, com Azeredo Lopes a congratular-se por a carta assinada por Portugal, Espanha, França e Itália ter sido apoiada pelo secretário-geral da organização.

A carta, segundo o ministro, indica que a NATO deve "manter o equilíbrio entre as duas abordagens: a do flanco Leste" e a do "flanco Sul, que resulta de uma ameaça global e permanente e que não se repercute apenas no Sul", como provaram os atentados reivindicados pelos extremistas do Daesh em Bruxelas.

Lusa

  • Maratona da democracia em Barcelona
    1:18

    New Articles

    Na Catalunha, milhares de pessoas alimentam o braço de ferro com Madrid. Em Barcelona decorre a maratona pela democracia decorre na Praça da Universidade. A iniciativa repete-se noutros 300 municípios da região.

  • Primeiro-ministro admite que retatório sobre Tancos possa ser "fabricado"
    2:06

    País

    O primeiro-ministro garante que o relatório divulgado pelo expresso sobre o desaparecimento de armas em Tancos não é de nenhum organismo oficial e admite até que possa ser fabricado. Costa critica ainda o líder do PSD por comentado uma notícia que não confirmou. As Forças Armadas também negaram a existência de qualquer relatório sobre Tancos que o Expresso reafirma existir e ser verdadeiro.

  • Primeiro-ministro admite que retatório sobre Tancos possa ser "fabricado"
    2:06

    País

    O primeiro-ministro garante que o relatório divulgado pelo expresso sobre o desaparecimento de armas em Tancos não é de nenhum organismo oficial e admite até que possa ser fabricado. Costa critica ainda o líder do PSD por comentado uma notícia que não confirmou. As Forças Armadas também negaram a existência de qualquer relatório sobre Tancos que o Expresso reafirma existir e ser verdadeiro.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.