sicnot

Perfil

País

GNR sinaliza mais de 40 mil idosos a viver sozinhos

A GNR identificou 43.322 idosos a viver sozinhos, isolados ou em situação de vulnerabilidade, um número que quase triplicou desde 2011, ano em que foi realizada a primeira operação "Censos Sénior", segundo dados da Guarda Nacional Republicana.

Os cerca de 300 militares da GNR envolvidos na operação "Censos Sénior 2016", que decorreu entre 1 e 30 de abril em todo o país, fizeram também, pela primeira vez, o levantamento das pessoas portadoras de deficiência, tendo sinalizado 600 pessoas.

Das 600 pessoas sinalizadas, 166 vivem sozinhas, 38 residem em locais isolados, 33 vivem sozinhas e isoladas. As restantes 363 situações não se enquadram nestas situações, adianta a GNR.

Os dados da GNR referem ainda que a maioria (28.691) dos idosos sinalizados são mulheres.

Dos 43.322 idosos sinalizados - mais 4.106 relativamente ao ano anterior (9,4%) -, 26.000 vivem sozinhos (mais 2.004 relativamente a 2015), 4.626 moram em locais isolados (menos 579) e 3.085 vivem sozinhos e isolados (menos 203).

Os restantes idosos sinalizados (9.611) encontravam-se em "situação de vulnerabilidade fruto de limitações físicas e/ou psicológicas", mais 2.884 relativamente ao ano anterior, refere a GNR.

Os dados mostram que, entre 2015 e 2016, quase triplicaram (174%) as situações de idosos que foram sinalizados e reencaminhados para as entidades competentes, sobretudo de apoio social, para fazer o seu acompanhamento futuro.

Em 2015 foram encaminhados para instituições de solidariedade social 315 idosos, enquanto este ano foram 864, a maioria mulheres (514).

Em declarações à agência Lusa, o capitão Ricardo Silva, do Comando Geral da GNR, explicou que estes idosos encontravam-se em situações "muito extremas" e necessitavam de um acompanhamento mais próximo.

Ricardo Silva contou que, entre as várias situações detetadas, havia casos de idosos com "carências alimentares".

Os dados da GNR mostram um aumento gradual deste tipo de situações: Em 2011, foram sinalizados 15.596 idosos, número que subiu para 23.001 em 2012, para 28.197 em 2013, para 33.963 em 2014, para 39.216 em 2015 e para 43.322 em 2016.

Segundo o capitão Ricardo Silva, este aumento deve-se a um melhor registo das situações.

"Não quer dizer que haja mais idosos, simplesmente é feita uma melhor referenciação das situações", explicou o capitão Ricardo Silva.

"A tendência será o aumento porque, cada ano que passa, conseguimos ter um melhor conhecimento do terreno e um melhor registo de onde os idosos estão", acrescentou.

Realizada anualmente pela GNR, a operação "Censos Sénior" tem como objetivo atualizar os registos dos idosos que vivem sozinhos e isolados, identificar novas situações e informar as entidades competentes das situações de potencial perigo.

Durante a operação foram ainda realizadas ações de sensibilização para que "esta população adote comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes", refere a GNR.

A GNR adianta que continuará, ao longo ano, a acompanhar os idosos sinalizados e as pessoas com deficiência, realizando visitas regulares às suas residências, no sentido de realizar mais ações de sensibilização e fazer uma avaliação da sua segurança.

Lusa

  • Amar não acaba
    17:27

    Reportagem Especial

    Portugal tem mais de dois milhões de idosos, 400 mil vivem sozinhos. No entanto, há quem procure e encontre companhia na terceira idade. A Reportagem Especial encontrou alguns exemplos de namoros tardios.

  • "Amar não acaba"
    0:28

    Reportagem Especial

    Portugal tem pouco mais de dois milhões de idosos. Cerca de 400 mil vivem sozinhos. Alguns, mesmo na terceira idade, encontram companhia. São amores mais maduros mas, ao mesmo tempo, tão importantes como os da juventude. Na reportagem especial desta semana, “Amar não acaba”, contamos a história de três casais que se conheceram quando pensavam já não encontrar ninguém.

  • Grávidas, deficientes e idosos com prioridade no setor privado
    2:31

    País

    As lojas e os restaurantes vão ser obrigados a garantir o atendimento prioritário a pessoas com deficiência, grávidas ou idosos com limitações físicas ou mentais. O decreto-lei foi ontem aprovado e alarga ao setor privado aquilo que já acontecia em muitos serviços públicos.

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.