sicnot

Perfil

País

Mil casos com pulseira eletrónica em simultâneo pela primeira vez em Portugal

Mil pessoas encontram-se hoje, em simultâneo, com pulseira eletrónica, em Portugal, o que acontece pela primeira vez desde que este instrumento alternativo à prisão é utilizado, segundo um comunicado da Direção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

De acordo com a Direção de Serviços de Vigilância Eletrónica, 90% dos vigiados são homens.

De acordo com a Direção de Serviços de Vigilância Eletrónica, 90% dos vigiados são homens.

SIC/ Arquivo

Metade dos mil casos de vigilância eletrónica em execução simultânea respeita a penas e medidas de coação de obrigação de permanência na habitação, enquanto a outra metade representa situações de fiscalização da proibição de contactos no âmbito do crime de violência doméstica.

Segundo o comunicado da Direção-geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) hoje divulgado, passaram já, pelo sistema de vigilância eletrónica, dez mil casos, com uma taxa global de cumprimento de 95%.

Para a DGRSP, estes dados "revelam que as soluções penais com vigilância eletrónica têm uma boa aceitação pelos tribunais, pela comunidade e pelas vítimas de violência doméstica".

A pulseira eletrónica, usada em Portugal desde 2002, é um instrumento alternativo à prisão e os seus custos financeiros correspondem a cerca de um quatro dos custos tidos com um recluso em estabelecimento prisional.

A DGRSP lembra que as penas com vigilância eletrónica têm um elevado potencial de ressocialização do infrator, permitem não quebrar vínculos sócio-familiares e contribuem para a reconstrução pessoal do condenado, ao favorecer a sua frequência da escola ou formação profissional.

O sistema adotado em Portugal baseia-se na tecnologia de rádio frequência, que visa a vigilância de determinada pessoa em local previamente definido.

O arguido é portador de um dispositivo de identificação pessoal, a pulseira eletrónica, que transmite sinais em rádio frequência codificados, a intervalos de tempo curtos. Este dispositivo de identificação pessoal é como um bilhete de identidade eletrónico do arguido enquanto sujeito à vigilância.

Os sinais transmitidos pela pulseira eletrónica são captados por uma unidade de monitorização instalada na habitação e que contém um ficheiro informático com os dados da decisão judicial referentes aos horários (confinamento de 24 horas por dia ou outro), assegurando-se assim a aferição do comportamento do dispositivo.

Lusa

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • "A Venezuela sofreu um Madurazo"
    0:32
  • "Leiam os meus lábios. Não!"
    0:12

    Mundo

    Vladimir Putin participou esta quinta-feira numa conferência, no Ártico. Questionado sobre se a Rússia tinha interferido nas últimas eleições dos Estados Unidos da América, o Presidente voltou a negar qualquer interferência, com uma frase que pensava pertencer a Ronald Reagan, mas que na verdade foi proferida por George Bush.

  • A provocação de Juncker a Trump
    0:40

    Mundo

    Jean-Claude Juncker lançou esta quinta-feira uma provocação a Donald Trump. No último dia do congresso do PPE, o presidente da Comissão Europeia disse que, se Trump incentivar outros países a sair da União Europeia, ele próprio vai apoiar a independência do Ohio e do Texas