sicnot

Perfil

País

Petição contra pesquisa de petróleo em Aljezur entregue dia 22 na AR

Uma petição contra a atribuição de licença para a procura de petróleo em Aljezur (Algarve) vai ser entregue no parlamento na quarta-feira, anunciou hoje o partido PAN - Pessoas-Animais-Natureza, que se associa à iniciativa.

LUSA/ ARQUIVO

A iniciativa, inicialmente promovida pela Associação de Surf e Atividades Marítimas do Algarve (ASMAA), acabou por receber o apoio do PAN e de várias autarquias algarvias.

Estas entidades opõem-se à atribuição de uma licença de Título de Utilização Privativa do Espaço (TUPEM) relativa ao consórcio GALP/ENI, uma multinacional petrolífera Italiana (Ente Nazionale Idrocarburi S.p.A.) que pretende explorar petróleo na área de Santola, na Bacia do Alentejo, em Aljezur.

Entre as várias razões para se opôr à licença, a ASMAA aponta na petição pública o valor ambiental, social e económico para o Algarve e todos os seus residentes e habitantes da Costa Vicentina, o facto de a zona para onde está prevista a perfuração ter habitats importantes para os animais e a falta de um estudo que tenha em conta o impacto ambiental dessa atividade.

Com esta petição, a ASMAA e as outras entidades que apoiam a iniciativa pretendem que se reflita sobre "os impactos ambientais, sociais e económicos tanto da exploração como da mineração associados ao projeto por parte da ENI", refere o texto da petição, que recolheu mais de 4.300 assinaturas em 10 dias.

Para demonstrar a sua objeção à procura de petróleo em Alzejur, a ASMAA lançou também uma campanha de informação ao público com a qual pretende esclarecer a população sobre os impactos negativos daquela atividade.

Igualmente para protestar contra a licença para este furo de pesquisa de petróleo está marcada para dia 25 de junho uma manifestação, em Aljezur, convocada por vários movimentos.

O furo de sondagem para procura de petróleo será levado a cabo pelo consórcio GALP-ENI e está marcado para o dia 1 de julho.


Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35

    País

    A data para as próximas eleições autárquicas já gerou consenso. 1 de outubro é a data pedida pelos vários partidos ouvidos esta segunda-feira por António Costa. Na próxima quinta-feira, no Conselho de Ministros, o dia de ir às urnas vai ser escolhido.