sicnot

Perfil

País

Ligação aérea entre Lisboa e Abidjan aproximará empresas dos dois países

O primeiro-ministro português e o primeiro-ministro da Costa do Marfim defenderam hoje o aprofundamento das relações económicas e comerciais entre os dois países, assinando cinco acordos e protocolos, incluindo para a ligação aérea entre Lisboa e Abidjan.

Primeiro-ministro da Costa do Marfim, Daniel Duncan, recebido por António Costa.

Primeiro-ministro da Costa do Marfim, Daniel Duncan, recebido por António Costa.

INACIO ROSA

"Seguramente este acordo para as ligações áreas ente Lisboa e Abidjan estreitará as distâncias entre os nossos povos, entre as nossas empresas e será um instrumento muito importante para aproximar as relações entre os nossos países", afirmou o chefe de Governo português, António Costa.

António Costa disse ter "forte expectativa" no "desenvolvimento das relações económicas" entre os dois países e o primeiro-ministro da Costa do Marfim, Daniel Duncan, que participará num fórum económico no Porto, corroborou a ideia, sublinhando que a "distância é de cerca de cinco horas de voo" entre a capital portuguesa e a maior cidade daquele país africano, Abidjan.

"A Costa do Marfim é um país que avança muito rapidamente. Temos um crescimento de 9% ao ano desde 2012. A ambição do Presidente da República é de fazer da Costa do Marfim um país emergente em 2020", declarou o primeiro-ministro da Costa do Marfim.

A energia e a construção de autoestradas foram áreas apontadas por Daniel Duncan como potenciais para negócios com empresas portuguesas.

O chefe de Governo da Costa do Marfim sublinhou ainda a importância de ensinar a língua portuguesa na Costa do Marfim, que é francófona, dando conta de uma evolução na formação de formadores para esse efeito.

António Costa sublinhou que ao longo dos últimos anos Portugal e a Costa do Marfim têm vindo a intensificar as suas relações, que estão atualmente "num nível bastante desenvolvido e promissor para o futuro".

"Esta visita marca um momento importante das nossas relações. É uma visita que não se traduz só do ponto de vista político, visto que a Costa do Marfim é um dos países que mais tem crescido economicamente em África e que constitui uma excelente oportunidade de investimento para as empresas portuguesas", afirmou.

Frisando que África é o segundo parceiro comercial de Portugal a seguir à União Europeia, António Costa enquadrou a visita do primeiro-ministro da Costa do Marfim num conjunto mais vasto de contactos e acordos recentes, como a assinatura com Marrocos de um acordo para "interconexão elétrica", e a visita do primeiro-ministro de Cabo Verde, na semana passada.

Os chefes de governo dos dois países assinaram um acordo que visa "regulamentar as relações entre as duas partes no que respeita ao trafego aéreo" e um acordo cooperação no domínio do turismo, com várias vertentes, designadamente a "administração e a gestão do turismo, a formação de recursos humanos, o desenvolvimento de produtos turísticos, o marketing especializado e a cooperação entre instituições privadas".

Foi ainda assinado um protocolo de cooperação entre o Ministério dos Negócios Estrangeiros português e o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Costa do Marfim para o intercâmbio de formação de pessoal dos dois ministérios.

Portugal e a Costa do Marfim assinaram também protocolos no domínio da saúde e da informação e comunicação, em rádio, televisão, da imprensa e das agências de imprensa, da formação e da conservação de arquivos audiovisuais.

Lusa

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.