sicnot

Perfil

País

Marcelo diz que reconhecimento dos bombeiros tem significado especial

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje que tem um significado especial ser reconhecido pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários (AHBV) de Sintra por conhecer "bem de perto" a "aventura" que é ser bombeiro.

ANT\303\223NIO COTRIM

Marcelo Rebelo de Sousa, que participou hoje nas cerimónias comemorativas dos 126 anos da AHBV de Sintra, recebeu o diploma de sócio-honorário da associação.

"Nos poucos meses que já cumpro como Presidente da República tenho recebido já algumas condecorações, mas digo-vos que esta é das mais gratificantes. Fico muito honrado", afirmou.

O Presidente da República disse ainda conhecer bem a "aventura que é ser bombeiro", quando exerceu funções como presidente da Assembleia Municipal de Celorico de Basto.

"Conheço bem de perto a aventura de ser bombeiro, porque é uma aventura de sobrevivência, de afirmação, para ter equipamentos, etc.", sustentou.

Marcelo mostrou-se ainda "surpreendido" por ter sido o primeiro chefe de Estado a visitar a AHBV de Sintra em 126 anos.

Antes de discursar, o Presidente da República assinalou a entrega de três novas viaturas aos bombeiros e descerrou a placa que assinala "a honra" pela presença de Marcelo Rebelo de Sousa nas instalações.

Marcelo Rebelo de Sousa, que já tinha visitado a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Sintra na campanha para as eleições presidenciais, prometeu, na altura, regressar ao local.

A promessa foi hoje cumprida e assinalada pelos representantes da associação.

O Presidente da República vai estar ainda esta tarde presente nas comemorações dos 60 anos da Adega Cooperativa de São Mamede da Ventosa, em Torres Vedras.

Lusa

  • Manifestação contra resultados do partido alemão de Extrema-Direita
    0:39
  • Ciclista Peter Sagan tricampeão do mundo

    Desporto

    O eslovaco Peter Sagan deixou este domingo mais uma marca na história do ciclismo, ao sagrar-se campeão do mundo de fundo pela terceira vez consecutiva, uma proeza inédita para norueguês ver e lamentar.