sicnot

Perfil

País

Sindicato diz que redução de docentes é incompatível com melhor educação

O Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE) contestou hoje o relatório dos técnicos do Fundo Monetário Internacional (FMI) para Portugal, alegando que a redução de docentes é incompatível com a melhoria da educação.

(Arquivo)

(Arquivo)

PAULO NOVAIS

O sindicato refere-se ao documento "Da crise à convergência: traçar um rumo para Portugal", editado em livro e cuja apresentação decorreu hoje na Nova School of Business and Economics, em Lisboa.

"A recomendação da rápida diminuição de professores, a contenção de progressões, entre outros cortes envolvendo custos com funcionários, em nada contribui para melhorar o sistema de ensino", afirma o SIPE em comunicado.

O SIPE considera "completamente injustificáveis" as considerações do FMI sobre o ensino em Portugal: "Este cenário já o país conhece, daquilo a que assistimos nos últimos anos".

A estrutura sindical sublinhou que as alterações introduzidas ao longo dos últimos anos, como a criação de grandes agrupamentos escolares, o aumento do número de alunos por turma e a redução de disciplinas ligadas às artes, deixaram milhares de professores desempregados.

"O relatório assinado pelo chefe da missão do FMI em Portugal, Subir Lall, refere haver uma necessidade de adequar a dimensão dos serviços educativos, tanto a nível da rede escolar como do número de professores, alinhando o nível do pessoal com a diminuição da população em idade escolar", frisa o SIPE, contestando que a eficiência defendida pelos técnicos do Fundo Monetário Internacional se faça à custa de mais cortes no setor.

Subir Lall assinou o relatório juntamente com outros dois economistas do FMI, Dmitry Gershenson e Albert Jaeger, intitulado "Da crise à convergência: traçar um rumo para Portugal".

No documento, os três economistas olham para o que Portugal alcançou durante o resgate financeiro e indicam o que consideram que o país deve fazer para ultrapassar os desafios que se colocam, sendo que este relatório não representa necessariamente a visão do Conselho de Administração do FMI.

O chefe de missão do FMI defendeu no relatório, divulgado na terça-feira, que os ganhos de competitividade alcançados nos últimos anos "têm de ser mantidos" e que a sua sustentabilidade "não pode ser tomada como garantida".

Afirmou igualmente que Portugal não precisa de mais investimento público em infraestruturas para promover o crescimento, considerando que é preciso reforçar a educação para melhorar as competências dos trabalhadores.

Segundo a mesma fonte, Portugal deve apoiar a criação de emprego dos trabalhadores com baixas qualificações, combinado reformas direcionadas para estas pessoas com uma "política de salário mínimo prudente".

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.