sicnot

Perfil

País

O tempo para hoje

O tempo para hoje

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje, no continente, céu geralmente limpo, apresentando-se em geral muito nublado nas regiões do interior até ao início da manhã e nas regiões do litoral oeste até ao final da manhã, podendo essa nebulosidade persistir no litoral centro durante todo o dia.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte no litoral oeste e nas terras altas, com rajadas até 65 quilómetros por hora, em especial durante a tarde, neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais e pequena subida da temperatura mínima no litoral norte.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos nas vertentes norte e nas terras altas e vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando por vezes forte nas terras altas.

Para os Açores, a previsão aponta para períodos de céu muito nublado com abertas, aguaceiros fracos, em especial na madrugada e manhã, e vento fraco a bonançoso.

No que diz respeito às temperaturas, em Lisboa vão variar entre 17 e 25 graus Celsius, no Porto entre 16 e 22, em Vila Real entre 14 e 27, em Viseu entre 12 e 26, em Bragança entre 13 e 30, na Guarda entre 11 e 25, em Coimbra entre 16 e 25, em Castelo Branco entre 15 e 32, em Santarém entre 16 e 27, em Évora e Beja entre 14 e 31, em Faro entre 19 e 31, no Funchal entre 19 e 24, em Ponta Delgada entre 17 e 23, na Horta entre 18 e 24 e em Santa Cruz das Flores entre 18 e 23.

  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • Mais de 120 pessoas com hepatite A
    2:23

    País

    O surto de hepatite A já infetou 128 pessoas, 60 das quais estão internadas em hospitais de Lisboa e Coimbra. A Direção-Geral da saúde recomenda a vacinação apenas aos familiares dos doentes. Apesar de não haver ruptura de stocks, há farmácias que não têm vacinas.

  • Sobreviventes de Mossul relatam mutilações e execuções do Daesh
    1:32