sicnot

Perfil

País

Contraordenações diminuíram 25% com Carta por Pontos

Um mês após a introdução da nova Carta de Condução por pontos, foi registada uma diminuição de 25,4% nas contraordenações.

O regime da Carta de Condução por pontos entrou em vigor há um mês e as contraordenações diminuíram, no mês de junho, 25,4%, disse hoje o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

"As contraordenações tiveram uma quebra de 25,4 por cento, isto quer dizer que contraria completamente aquilo que as pessoas diziam, que com a Carta por Pontos estávamos a trabalhar para a caça à multa, o que não é verdade", disse aos jornalistas Jorge Gomes, no final da cerimónia que assinalou o arranque do primeiro dos 30 radares do Sistema Nacional de Controlo de Velocidade, que serão instalados até ao final do ano.

O secretário de Estado adiantou que esta redução nas contraordenações, durante o primeiro mês da entrada em vigor da Carta por Pontos, demonstra que os condutores passaram a ter um "comportamento completamente diferente na estrada".

Jorge Gomes acrescentou também que o importante para o Estado português "não é ter receitas pelas contraordenações", nem "despesas com a sinistralidade", mas sim reduzir o número de acidentes rodoviários nas estradas.

Com o sistema da Carta por Pontos, que entrou em vigor no dia 1 de junho, todos condutores passaram a ter um cadastro, com uma pontuação inicial de 12 pontos, que aumenta ou diminui, em função das infrações.

A cada Carta de condução são atribuídos 12 pontos, que vão diminuindo à medida que o automobilista vai cometendo contraordenações graves, muito graves ou crimes rodoviários, mas que podem aumentar caso não existam infrações ao fim de três anos, nunca ultrapassando os 15 pontos.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Oliveira e Costa condenado a 14 anos de prisão

    País

    O fundador do grupo SLN/BPN, José Oliveira e Costa, foi esta quarta-feira condenado pelo tribunal a uma pena de prisão efetiva de 14 anos pelos crimes de falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, burla qualificada e branqueamento de capitais. Dos 15 arguidos no processo, 12 foram condenados.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras