sicnot

Perfil

País

Passos diz que PSD quer "redesenhar" políticas sociais

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, disse hoje que o seu partido está a trabalhar num "redesenho das políticas sociais" com o objetivo de combater "perversões" que existem na Educação, Saúde ou na área Social.

"A nossa ambição, o nosso propósito é muito claro. Nós queremos nos próximos meses, poder de uma forma que pode não ter, digamos, um reflexo muito grande, mas iremos multiplicar as ocasiões e as formas de poder interagir com pessoas, profissionais, académicos, que nos ajudem a redesenhar estas políticas sociais", declarou Pedro Passos Coelho, ao início da tarde de hoje, no Porto, durante o "1º Fórum de Políticas Sociais: Educação, Saúde e Segurança Social".

Quando o trabalho de redesenhar as novas políticas sociais estiver mais adiantado, Passos Coelho promete uma "convenção de maior dimensão" para discutir os resultados num plenário alargado de modo a que o "país possa ir também conhecer essas políticas que lhes serão dadas a escolher para futuro".

Passos Coelho afirma que esta iniciativa serve para as pessoas conhecerem as "escolhas que vão fazer" e "quais são as políticas que estão associadas a cada partido e cada iniciativa política".

"Não vamos ficar simplesmente à espera que o tempo passe até que os eleitores se lembrem de nós. Estamos muito apostados em trabalhar todos os dias para dar aos cidadãos portugueses razões para que se sintam mais livres para fazer as suas escolhas políticas, conhecendo bem as nossas ideias e as nossas propostas", explicou o líder social-democrata.

O líder social-democrata afirma que há "perversões" com as atuais políticas sociais e destacou o exemplo do que se passa no Ensino Superior, quando são educandos oriundos de famílias "com mais recursos" a entrar nas universidades públicas, enquanto os estudantes com mais dificuldades económicas teriam de ir para as universidade privadas pagar propinas mais elevadas.

"Quando houve a explosão do acesso ao Ensino Superior, o Estado não tinha vagas, não tinha capacidade nas universidades públicas e, por isso, apareceram muitas universidades privadas. Hoje em dia, o Estado foi aumentando a sua capacidade na área pública, mas durante uns anos, na verdade verificava-se que as médias dos alunos eram mais elevadas nos alunos que tinham estratos sociais mais elevados. (...) As vagas mais disputadas, nos cursos mais disputados, do ensino público eram tomados pelos filhos das famílias com mais rendimentos e eram, depois, as famílias de menores rendimentos, que mais esforço faziam para pagar as propinas dos seus filhos nas universidades privadas".

Para Passos Coelho, este exemplo do Ensino Superior é uma "perversão", assumindo que as "políticas públicas destinadas a realizar um princípio de igualdade de oportunidades, ao fim de muitos anos revelou-se ineficaz".

"E se é assim, nós estamos a gastar muito dinheiro que precisa de ser gasto, mas não estamos a resolver, pelo menos um dos objetivos fundamentais dessas políticas públicas que é o de realizar a redistribuição dentro de um Estado que concretize a igualdade de oportunidades e que dê a todos a possibilidade de subir na vida, de ser feliz, de se poder realizar profissionalmente, de poder fugir da pobreza".

Passos Coelho reitera a ideia de que a mudança vai exigir um "redesenho das políticas sociais" e "edificar um novo consenso social", observando, todavia, que para que tal seja bem-sucedido e se possam ultrapassar os "resultados dececionantes", as finanças públicas têm de estar "em ordem", porque senão não há Estado Social que resista".

Lusa

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.