sicnot

Perfil

País

Governo aprova regulamento da Unidade de Combate Antiterrorista

​O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo aprovará, na quinta-feira, o regulamento final da Unidade de Combate Antiterrorista e que até ao final do ano funcionará o ponto de contacto único entre polícias e instituições europeias.

© Rafael Marchante / Reuters

Estes dois passos do executivo português no domínio da segurança foram referidos por António Costa após ter recebido François Hollande em São Bento, com quem depois saiu no mesmo carro para participar numa breve cerimónia particular na embaixada francesa em Lisboa.

Numa curta declaração aos jornalistas nos jardins de São Bento, com o chefe de Estado francês ao seu lado, as primeiras palavras de António Costa destinaram-se a condenar o recente atentado ocorrido em Nice, ato que classificou como "horrível".

Depois de salientar a "solidariedade" de Portugal em relação a França no combate ao terrorismo, o primeiro-ministro defendeu que a segurança "é um esforço que se exige a todos os países europeus".

António Costa disse então que o Conselho de Ministros de quinta-feira "aprovará o regulamento final da Unidade de Combate Antiterrorista".

"E até ao final deste ano teremos em funcionamento o ponto de contacto único entre as policiais e as instituições europeias, porque é essencial reforçar a cooperação policial transnacional, a troca e a partilha de informações. E esta é para nós também uma prioridade", salientou o líder do executivo nacional.

António Costa destacou mesmo a França como "um bom exemplo" em matéria das prioridades políticas que devem ser seguidas pela União Europeia.

"A Europa tem de se concentrar naquilo que é fundamental: A segurança das pessoas, a criação de emprego, o crescimento económico e dar esperança ao futuro da juventude",. Especificou o primeiro-ministro.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18