sicnot

Perfil

País

Sindicato dos Funcionários do SEF anuncia greve para 11 e 12 de agosto

SIC

O Sindicato dos Funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SINSEF) anunciou hoje uma greve para os dias 11 e 12 de agosto para reivindicar "melhores condições" e "maior dignificação" das carreiras não policiais.

Na base da luta dos trabalhadores do SEF não estão "apenas aumentos salariais, mas melhores condições e maior dignificação das carreiras não policiais, de forma a tornar o SEF mais eficaz, num momento particularmente exigente pelas condições internacionais e procura interna", refere o sindicato, que já entregou o pré-aviso de greve.

Em declarações à agência Lusa, a presidente do sindicato, Manuela Niza, explicou que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras tem uma componente de cerca de 50% de atividade não policial, sem uma carreira específica que contemple estes funcionários.

"A área não policial trata com assuntos e dados altamente sensíveis e confidenciais de enorme interesse e necessários à segurança interna, e não só, e estas pessoas não têm uma carreira específica", disse Manuela Niza, observando que a parte documental "contribui com 80 milhões de euros para os cofres do Estado".

Segundo a sindicalista, estes funcionários tiveram uma carreira especial até 2008, ano em que foi extinta e que colocou o SEF na situação de ser o único serviço de segurança a ter metade de atividade não policial.

Nesse sentido, a principal reivindicação da paralisação prende-se com a reativação da "especificidade da carreira que possa integrar os quase 50% de funcionários que estão fora da lei orgânica".

"Toda a gente reconhece a justeza das reivindicações, mas pelos vistos não há vontade política de agir e não podemos todo tempo aceitar como boa a eterna desculpa dos constrangimentos orçamentais quando se verifica noutras circunstâncias que esses constrangimentos estão ultrapassados", disse Manuela Niza.

A sindicalista contou que há funcionários a saírem para outros organismos por não verem o seu "trabalho reconhecido, nem em termos salariais, nem de progressão de carreira".

"Hoje mesmo verificámos, com muita satisfação, que foi pedida uma mobilidade interna de pessoas de outros organismos para o SEF, em Diário da República, congratulamo-nos e aplaudimos essa iniciativa por parte da direção nacional, só que a questão vai ser exatamente a mesma", lamentou.

O sindicato recorda a greve de trabalhadores que realizou há um ano, adiantando que, desde então, "não houve qualquer evolução das promessas ou perspetivas dadas pela Direção Nacional do SEF".

  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • Duas pessoas alvejadas devido a disputa de linha de água em Cabeceiras de Basto
    1:23

    País

    Duas pessoas foram alvejadas por causa de uma disputa de uma linha de água, esta terça-feira, em Cabeceiras de Basto. O suspeito escondeu-se num barracão, mas acabou por ser detido pela GNR. As vítimas sofreram ferimentos ligeiros no braço e no peito. O tenente André Rodrigues, do Comando de Braga, revelou que os disparos foram feitos com uma caçadeira.

  • Governo quer entregar OE 2018 a 13 de outubro
    1:33
  • Casa Branca isolada devido a pacote suspeito

    Mundo

    A Casa Branca foi esta terça-feira isolada devido à presença de um pacote suspeito junto a uma das vedações que limitam o edifício governamental norte-americano. A situação já foi normalizada e o objeto retirado do local.

  • Três irmãos resgatados dos escombros em Itália
    1:24
  • Participante no incidente em Charlottesville teme pela vida
    1:43

    Mundo

    Um dos participantes nos incidentes em Charlottesville e membro de um grupo de extrema-direita supremacista teme vir a ser detido ou até morto, pelas declarações que fez durante uma reportagem da Vice News, que se tornou viral nas redes sociais.