sicnot

Perfil

País

Negociações para rever concursos de professores começam em outubro

(Arquivo)

Lusa

A Federação Nacional de Educação (FNE) adiantou hoje que o Ministério da Educação (ME) vai iniciar negociações para a revisão dos concursos de colocação de professores em outubro, depois de ter estado reunida com a tutela esta manhã.

"O ME indicou que vai iniciar-se em outubro a negociação da revisão do regime de concursos. É muito importante, nós também consideramos prioritário este aspeto. Há a questão da norma-travão, que tem injustiças, há a dimensão dos quadros de zona pedagógica. Há um conjunto de fatores que perturbam a relação entre os diferentes candidatos. Há aspetos que precisam de ser corrigidos, melhorados, porque no próximo ano teremos um concurso externo, aberto, e isso significa que as regras do concurso têm que ser revistas com muito cuidado", disse à Lusa o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva.

A FNE esteve hoje reunida com a equipa do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, para fazer um balanço do ano letivo que agora terminou, e apresentar propostas para o que se avizinha, tendo em conta a preparação do próximo Orçamento do Estado.

"O que era fundamental era deixarmos o nosso caderno de encargos para o próximo ano letivo", disse.


Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.