sicnot

Perfil

País

O tempo para hoje

O tempo para hoje

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade no litoral entre o Cabo Mondego e o Cabo Raso até meio da manhã.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte de noroeste no litoral oeste, em especial durante a tarde, por vezes com rajadas até 55 quilómetros por hora, pequena descida da temperatura mínima no litoral da região norte e pequena subida da máxima.

Na Madeira prevê-se períodos de céu muito nublado, apresentando-se em geral pouco nublado nas vertentes sul, aguaceiros fracos e pouco frequentes nas vertentes norte até ao início da tarde e vento fraco a moderado de nordeste, soprando moderado a forte nas terras altas.

Para os Açores a previsão aponta para céu geralmente pouco nublado, vento sudoeste medrado a bonançoso e possibilidade de aguaceiros no grupo oriental (São Miguel e Santa Maria).

No que diz respeito às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 17 e 28 graus Celsius, no Porto entre 14 e 26, em Viana do Castelo entre 13 e 26, em Bragança entre 14 e 32, em Vila Real entre 16 e 32, em Viseu entre 15 e 32, na Guarda entre 14 e 29, em Coimbra entre 13 e 30, em Castelo Branco entre 18 e 34, em Portalegre entre 17 e 33, em Santarém entre 15 e 32, em Évora entre 15 e 35, em Beja entre 15 e 34, em Faro entre 20 e 36, no Funchal entre 20 e 26, em Ponta Delgada entre 20 e 26, na Horta entre 19 e 26 e em Santa Cruz das Flores entre 21 e 26.

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.