sicnot

Perfil

País

Mais acidentes rodoviários entre janeiro e julho mas menos mortos

PAULO NOVAIS

Os acidentes nas estradas portuguesas provocaram 241 mortos entre janeiro e julho deste ano, menos 20 do que no mesmo período de 2015, segundo a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

Entre 01 de janeiro e 31 de julho, foram registados 72.783 acidentes, mais 3.870 do que em igual período de 2015, adianta a ANSR num relatório publicado na sua página da Internet, que junta dados da PSP e GNR.

Quanto aos feridos graves, a ANSR indica que entre janeiro e julho deste ano foram registados 1.116 feridos graves, menos 159 do que em período homólogo de 2015.

Entre 01 de janeiro e 31 de julho deste ano foram registados 21.441 feridos ligeiros e em igual período do ano passado 21.442.

O maior número de acidentes ocorreu nos distritos de Lisboa (15.688) e Porto (13.906), indica a ANSR.

No que diz respeito aos mortos, a Autoridade adianta que o maior número de mortos ocorreu nos distritos de Lisboa (40), Leiria e Aveiro (23), Santarém (19) e Porto (18).

A Autoridade salienta ainda que a Guarda Nacional Republicana (GNR) registou na semana de 22 a 31 de julho, 15 mortos e 50 feridos graves.

A PSP registou em igual período do mês passado cinco mortos e 18 feridos graves.

Os dados da ANSR dizem respeito às vítimas, cujo óbito ocorreu no local dos acidentes ou a caminho do hospital.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47