sicnot

Perfil

País

Funchal registou na terça-feira 38,2 graus, o segundo valor mais alto em 40 anos

A temperatura máxima registada na terça-feira no Funchal foi de 38,2 graus, o segundo valor mais alto em 40 anos, disse hoje à agência Lusa o delegado regional da Madeira do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

"Na terça-feira, a temperatura máxima foi de 38,2 graus, registada cerca das 15:10 no Funchal", afirmou Victor Prior, explicando que "este foi o segundo maior valor desde agosto de 1976", quando a temperatura atingiu os 38,5 graus.

Segundo Victor Prior, na última noite, "às 02:00, ainda foram registados 35,5 graus, que será a temperatura máxima de hoje, quando, por regra, a temperatura máxima ocorre durante o dia, mas esta tarde não deverá ultrapassar os 30 graus".

O meteorologista adiantou que, em termos de temperatura mínima, "o maior valor de que havia registo era de 25,9 graus, a 12 de agosto de 1976".

Na terça-feira, a temperatura mínima atingiu "29,6 graus, um valor muito alto, 3,7 graus acima do que era recorde", referiu o responsável.

"Desde que há registos no Observatório Meteorológico do Funchal, desde 1949, este valor da temperatura mínima foi o maior", informou Victor Prior.

O responsável adiantou que durante cerca de 48 horas, desde as 06:00 de segunda-feira até às 06:00 de hoje, "a temperatura do ar esteve praticamente sempre acima dos 30 graus".

Quanto à intensidade do vento, durante a manhã de terça-feira foi de 82 quilómetros/hora na cidade do Funchal, enquanto nas zonas altas do concelho "rondou valores de 100, 110 quilómetros hora", acrescentou o diretor do observatório.

Três pessoas morreram na terça-feira, no Funchal, na sequência dos incêndios que deflagraram no concelho no dia anterior.

Os incêndios provocaram ainda dois feridos graves, cerca de mil deslocados, entre residentes e turistas, e muitas casas e um hotel (Choupana Hills) foram consumidos pelas chamas.

Cento efetivos do continente português e outros 30 dos Açores foram enviados para a Madeira para reforçar as equipas no combate aos incêndios.

Lusa

  • A história de João Ricardo
    10:37
  • Parceiros sociais começam hoje debate sobre salário mínimo

    Economia

    Os parceiros sociais reúnem-se hoje com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, para iniciarem a discussão sobre a atualização do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais e confederações patronais a assumirem posições divergentes.Em cima da mesa estarão as propostas das centrais sindicais, com a CGTP a exigir 600 euros a partir de janeiro de 2018 e a UGT a reivindicar 585 euros como ponto de partida para a negociação.

  • Os 72 golos de mais uma noite de Liga Europa

    Liga Europa

    Os 16 avos-de-final da Liga Europa começam a ganhar forma. São já 16 as equipas apuradas para a próxima fase da competição, entre elas o Sporting de Braga, que somou mais uma vitória. Em sentido inverso, o Vitória de Guimarães saiu derrotado de Salzburgo e ficou mais longe da qualificação. A 5.ª jornada da fase de grupos jogou-se esta quinta-feira e ao todo marcaram-se 72 golos. Estão todos aqui, para ver ou rever.

  • "No fim, logo se vê" se foram quatro anos de uma legislatura perdida
    1:28

    País

    Pedro Passos Coelho acusa o Governo de perder uma legislatura. O presidente do PSD diz que "no fim, logo se vê" se foram ou não quatro anos de oportunidade perdida para o país. No último Conselho Nacional antes das eleições diretas do partido, Passos acusou o Executivo de perder o rumo e apontou os casos do Infarmed e do aumento do preço da água como exemplos de desorientação.

  • Marcelo apoia novo Mecanismo Europeu de Proteção Civil
    0:44

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa considera o novo Mecanismo de Proteção Civil uma ideia muito boa, que tem todo o apoio do Governo e do Presidente da República. Marcelo apenas lamenta que o modelo não existisse durante os incêndios deste ano.