sicnot

Perfil

País

Funchal registou na terça-feira 38,2 graus, o segundo valor mais alto em 40 anos

A temperatura máxima registada na terça-feira no Funchal foi de 38,2 graus, o segundo valor mais alto em 40 anos, disse hoje à agência Lusa o delegado regional da Madeira do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

"Na terça-feira, a temperatura máxima foi de 38,2 graus, registada cerca das 15:10 no Funchal", afirmou Victor Prior, explicando que "este foi o segundo maior valor desde agosto de 1976", quando a temperatura atingiu os 38,5 graus.

Segundo Victor Prior, na última noite, "às 02:00, ainda foram registados 35,5 graus, que será a temperatura máxima de hoje, quando, por regra, a temperatura máxima ocorre durante o dia, mas esta tarde não deverá ultrapassar os 30 graus".

O meteorologista adiantou que, em termos de temperatura mínima, "o maior valor de que havia registo era de 25,9 graus, a 12 de agosto de 1976".

Na terça-feira, a temperatura mínima atingiu "29,6 graus, um valor muito alto, 3,7 graus acima do que era recorde", referiu o responsável.

"Desde que há registos no Observatório Meteorológico do Funchal, desde 1949, este valor da temperatura mínima foi o maior", informou Victor Prior.

O responsável adiantou que durante cerca de 48 horas, desde as 06:00 de segunda-feira até às 06:00 de hoje, "a temperatura do ar esteve praticamente sempre acima dos 30 graus".

Quanto à intensidade do vento, durante a manhã de terça-feira foi de 82 quilómetros/hora na cidade do Funchal, enquanto nas zonas altas do concelho "rondou valores de 100, 110 quilómetros hora", acrescentou o diretor do observatório.

Três pessoas morreram na terça-feira, no Funchal, na sequência dos incêndios que deflagraram no concelho no dia anterior.

Os incêndios provocaram ainda dois feridos graves, cerca de mil deslocados, entre residentes e turistas, e muitas casas e um hotel (Choupana Hills) foram consumidos pelas chamas.

Cento efetivos do continente português e outros 30 dos Açores foram enviados para a Madeira para reforçar as equipas no combate aos incêndios.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14