sicnot

Perfil

País

Linha da Beira Alta está a funcionar com normalidade

A circulação na linha ferroviária da Beira Alta está a decorrer com normalidade, depois de ter estado interrompida a ligação entre Santa Comba Dão e Carregal do Sal, disse à Lusa fonte da Infraestruturas de Portugal.

Desde quinta-feira que os comboios regionais da linha da Beira Alta têm ficado retidos nas zonas afetadas pelos incêndios, mas fonte da CP - Comboios Portugueses garantiu à Lusa que tem sido feito o transbordo dos passageiros através de autocarros.

Hoje à tarde, começou por estar suspensa a ligação entre Mortágua (Viseu) e Pampilhosa (Aveiro) e, poucos depois de a situação estar normalizada, os incêndios impediram a circulação de comboios entre Santa Comba Dão e Carregal do Sal.

Segundo o gabinete de imprensa da Infraestruturas de Portugal, estes incêndios já foram controlados e "foi restabelecida a circulação de comboios entre Santa Comba Dão e Carregal do Sal".

Na quinta-feira à tarde, a linha ferroviária também foi encerrada no troço entre Santa Comba Dão e Carregal do Sal, devido a um incêndio na localidade de Castelejo, distrito de Viseu.

Os distritos de Viseu e Aveiro têm sido dois dos mais afetados pelos incêndios que fustigam Portugal esta semana.

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.