sicnot

Perfil

País

Despiste na A1 na zona de Coimbra causa 1 morto e dois feridos graves

SIC/ Arquivo

Um despiste provocou hoje um morto e um ferido grave na A1, na zona de Coimbra, e obrigou também ao corte do trânsito no sentido norte-sul. De acordo com informação recolhida pela SIC junto dos bombeiros sapadores de Coimbra, há ainda dois feridos em estado grave e dois ligeiros. Uma informação inicial por parte dos bombeiros, GNR e Brisa dava conta de duas vítimas mortais.

O acidente aconteceu entre os nós de Coimbra Norte e Coimbra Sul, ao quilómetro 194 da A1, no sentido norte-sul, e de acordo com a GNR a via está cortada ao trânsito neste sentido.

O diretor de comunicação da concessionária Brisa, Franco Caruso, indicou à Lusa que quem circula no sentido norte-sul "deve sair no nó de Coimbra Norte" e pode regressar à autoestrada em Coimbra Sul, fazendo o percurso pelo IC2.

O alerta para o acidente foi dado às 8:21 e de acordo com a página da Autoridade Nacional da Proteção Civil, estão no local 16 operacionais apoiados por seis viaturas.

Com Lusa

  • Inquérito vai apurar causas do acidente na A1
    0:32

    País

    O acidente na A1 que causou um mortos e quatro feridos, dois graves, envolveu apenas um carro onde seguiam cinco pessoas. De acordo com a tenente da GNR, Lígia Santos, vai ser aberto um inquérito para apurar as causas do despiste.

  • Morreu Miguel Beleza, antigo ministro das Finanças e governador do BdP
    1:34
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.