sicnot

Perfil

País

Catarina Martins defende gestão coletiva das florestas

Catarina Martins defende gestão coletiva das florestas

Catarina Martins visitou, esta terça-feira, uma das aldeias de Arouca afetada pelos incêndios. A coordenadora do Bloco de Esquerda defendeu uma gestão coletiva da floresta, mas falou também sobre a entrevista de domingo, ao Jornal Público, em que disse que todos os dias se arrependia da criação da "Geringonça". À chegada, Catarina Martins teve um encontro inesperado com António Guterres.

  • Catarina Martins arrepende-se todos os dias da "geringonça"
    2:50

    País

    Catarina Martins diz que todos os dias se arrepende de fazer parte da "geringonça". As declarações foram feitas no mesmo dia em que Jerónimo de Sousa aponta limitações e avisa que a durabilidade do Governo depende da resposta do PS às reivindicações dos trabalhadores.

  • Catarina Martins diz-se arrependida com a "criação da geringonça"
    2:25

    País

    Catarina Martins diz que todos os dias se arrepende da "criação da geringonça". Em entrevista ao jornal Público, a coordenadora do Bloco de Esquerda diz no entanto que vai lutar contra as limitações, enquanto os objetivos traçados forem sendo cumpridos. Já ontem, a líder do Bloco de Esquerda tinha avisado o Governo que o partido está contra qualquer alteração legislativa para servir interesses, na administração da Caixa Geral de Depósitos.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.