sicnot

Perfil

País

Governo da Madeira destaca desempenho da PSP e GNR durante os incêndios

O presidente do Governo da Madeira afirmou esta quarta-feira, no Funchal, que o desempenho da PSP e da GNR durante os incêndios que assolaram a região na segunda semana de agosto foi "inexcedível" e "ultrapassou o que era estritamente exigido".

Miguel Albuquerque deslocou-se esta manhã aos comandos regionais da Polícia de Segurança Pública e da Guarda Nacional Republicana para agradecer a atuação das corporações durante os incêndios que fustigaram a ilha da Madeira com particular incidência entre os dias 08 e 13 de agosto.

"Eu, em nome da população que represento, fiz questão de vir hoje à PSP e a GNR agradecer pessoalmente o empenho, a determinação e o trabalho destas pessoas em prol do nosso povo", declarou Miguel Albuquerque, sublinhando que qualquer povo deve ter sempre presentes duas coisas essenciais: a memória e o sentido de gratidão.

Na PSP, a comandante regional, Madalena Amaral, lembrou que 477 polícias de várias patentes estiveram diariamente evolvidos nas operações, os quais fizeram uma média diária de trabalho entre 12 e 18 horas de serviço.

"Paralelamente, e no âmbito das suas competências de órgão de polícia regional, foram sendo desenvolvidas diligências no sentido de salvaguardar os meios de prova e a identificação dos suspeitos ou envolvidos nas práticas criminais em causa", vincou.

Na sequência dos incêndios, dois homens foram detidos por suspeita de prática do crime de fogo posto e aguardam julgamento em prisão preventiva.

Ao nível da GNR, o comandante Ferraz Dias não quis avançar com dados estatísticos, mas salientou que a corporação respondeu com "prontidão, coragem, abnegação e provado espírito de sacrífico".

Ferraz Dias reiterou, por outro lado, a "total disponibilidade para servir a região e os madeirenses através da colaboração entendida como adequada".

Para já, a colaboração da GNR vai materializar-se no processo de estabilização e consolidação das encostas e arribas que perderam o coberto vegetal, através da valência de proteção e socorro, em particular os militares especializados em busca e resgate em montanha.

"Também no âmbito do Plano Operacional de Combate a Incêndios Florestais, vamos continuar a empenhar as nossas equipas em missões de vigilância e deteção de incêndios sob a coordenação do Serviço Regional de Proteção Civil", referiu.

Os incêndios na Madeira afetaram sobretudo o concelho do Funchal, onde fizeram três mortos e um ferido grave, centenas de desalojados e deslocados, bem como prejuízos em bens públicos e privados avaliados pela câmara municipal em cerca de 61 milhões de euros.

Lusa

  • Depois do Fogo
    23:30

    Reportagem Especial

    Foi o incêndio mais mortífero de que há memória. No dia 17 de junho, as chamas apanharam desprevenidos moradores de vários concelhos e fizeram pelo menos 64 mortos. O incêndio prolongou-se durante vários dias deixando um rasto de histórias de perda e de sobrevivência, mas também de solidariedade de um sem número de pessoas anónimas.

  • "A menina agora volta para casa. Nós não." 

    Foi o desabafo do Cesário que me fez escrever qualquer coisa sobre o que vivi na última semana. Eram dez e pouco da noite, tinha acabado a vigília de homenagem às vítimas em Figueiró dos Vinhos e ele ainda tinha na mão um balão branco que àquela hora já só estava meio cheio. Era o último dia de uma longa e dura jornada de trabalho e estávamos a arrumar as coisas para no dia seguinte regressarmos a Lisboa.

    Débora Henriques

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24

    País

    Pedrógão Grande fez reviver o drama vivido pelas gentes da Serra do Caldeirão no verão de 2012. Falta de bombeiros, moradores retirados à força, casas e floresta destruídas são semelhanças que encontram nestes dramas separados por cinco anos.

  • Novo avião da TAP com pintura retro
    0:36

    Economia

    O novo avião da TAP chama-se "Portugal", tem uma pintura retro e vai sobrevoar os céus do pais a partir desta segunda-feira. A companhia aérea explica que o nome e a pintura são uma forma de homenagear a ligação histórica entre a empresa e o país.