sicnot

Perfil

País

Governo da Madeira destaca desempenho da PSP e GNR durante os incêndios

O presidente do Governo da Madeira afirmou esta quarta-feira, no Funchal, que o desempenho da PSP e da GNR durante os incêndios que assolaram a região na segunda semana de agosto foi "inexcedível" e "ultrapassou o que era estritamente exigido".

Miguel Albuquerque deslocou-se esta manhã aos comandos regionais da Polícia de Segurança Pública e da Guarda Nacional Republicana para agradecer a atuação das corporações durante os incêndios que fustigaram a ilha da Madeira com particular incidência entre os dias 08 e 13 de agosto.

"Eu, em nome da população que represento, fiz questão de vir hoje à PSP e a GNR agradecer pessoalmente o empenho, a determinação e o trabalho destas pessoas em prol do nosso povo", declarou Miguel Albuquerque, sublinhando que qualquer povo deve ter sempre presentes duas coisas essenciais: a memória e o sentido de gratidão.

Na PSP, a comandante regional, Madalena Amaral, lembrou que 477 polícias de várias patentes estiveram diariamente evolvidos nas operações, os quais fizeram uma média diária de trabalho entre 12 e 18 horas de serviço.

"Paralelamente, e no âmbito das suas competências de órgão de polícia regional, foram sendo desenvolvidas diligências no sentido de salvaguardar os meios de prova e a identificação dos suspeitos ou envolvidos nas práticas criminais em causa", vincou.

Na sequência dos incêndios, dois homens foram detidos por suspeita de prática do crime de fogo posto e aguardam julgamento em prisão preventiva.

Ao nível da GNR, o comandante Ferraz Dias não quis avançar com dados estatísticos, mas salientou que a corporação respondeu com "prontidão, coragem, abnegação e provado espírito de sacrífico".

Ferraz Dias reiterou, por outro lado, a "total disponibilidade para servir a região e os madeirenses através da colaboração entendida como adequada".

Para já, a colaboração da GNR vai materializar-se no processo de estabilização e consolidação das encostas e arribas que perderam o coberto vegetal, através da valência de proteção e socorro, em particular os militares especializados em busca e resgate em montanha.

"Também no âmbito do Plano Operacional de Combate a Incêndios Florestais, vamos continuar a empenhar as nossas equipas em missões de vigilância e deteção de incêndios sob a coordenação do Serviço Regional de Proteção Civil", referiu.

Os incêndios na Madeira afetaram sobretudo o concelho do Funchal, onde fizeram três mortos e um ferido grave, centenas de desalojados e deslocados, bem como prejuízos em bens públicos e privados avaliados pela câmara municipal em cerca de 61 milhões de euros.

Lusa

  • Prisão preventiva para homicida de Barcelos
    1:43

    País

    O alegado homicida de Barcelos vai ficar em prisão preventiva, por quatro crimes de homicídio. Adelino Briote foi ouvido este sábado de manhã no Tribunal de Braga, depois de na sexta-feira ter alegadamente degolado quatro pessoas na freguesia de Tamel, em Barcelos.

  • Homem suspeito de matar a mulher em Esmoriz

    País

    Um homem é suspeito de ter esfaqueado este sábado mortalmente a mulher em Esmoriz, concelho de Ovar, num contexto de violência doméstica, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.