sicnot

Perfil

País

Marcelo realça papel das Forças Armadas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, realçou esta sexta-feira na Base Aérea de Monte Real, Leiria, "o papel insubstituível" das Forças Armadas na identidade nacional.

PAULO NOVAIS

No regresso de militares da Força Aérea que participaram numa missão para no Báltico, Marcelo Rebelo de Sousa manifestou o seu "orgulho", por aquilo "que significou mais uma demonstração da excelência" da Força Aérea portuguesa e das Forças Armadas.

"O comandante supremo das Forças Armadas orgulha-se destas Forças Armadas, orgulha-se desta Força Aérea, orgulha-se desta missão", disse Marcelo Rebelo de Sousa, que visitou hoje várias instalações da base de Monte Real, situada no distrito de Leiria.

Na visita, Marcelo testemunhou "o labor, a competência e o planeamento" da Força Aérea.

Dirigindo-se aos militares que acabavam de regressar da missão no Báltico, o Presidente da República salientou que, "cá dentro e lá fora", vários responsáveis de outros países teceram "os maiores elogios à forma excecional" como a Força Aérea atuou na missão da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Báltico, onde participaram cerca de 90 militares portugueses e quatro F-16MLU, durante quatro meses.

Portugal participou enquanto nação líder da missão, respondendo à falta de capacidade da Estónia, Lituânia e Letónia para a manutenção da segurança e defesa do seu espaço aéreo.

A missão realizou-se num contexto de "defesa da Europa, mas sobretudo de garantia de policiamento para a preservação da paz", numa zona "muito sensível", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, durante o discurso após a chegada dos caças F-16 da Força Nacional Destacada no Báltico.

A visita do Presidente da República, que não prestou quaisquer declarações à comunicação social, começou por volta das 11:00 e terminou às 16:00, tendo tido oportunidade de se sentar num F-16, observar os trabalhos de manutenção das aeronaves, regeneração de motores e simulação de trabalhos de manutenção.

"Senhor presidente, mais uma vez, a sua presença já bem marcante no tempo de magistratura como Presidente da República assegura-nos a motivação e o salário moral que todos os dias nos dá com a sua presença, de forma ativa, e mostrando aos portugueses que as Forças Armadas estão prontas para cumprir qualquer missão que lhes seja solicitada", realçou o Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, Pina Monteiro.

"É muito bom voltar a casa", disse aos jornalistas o major Monteiro da Silva, oficial de operações no Báltico, referindo que os militares regressaram com a "sensação de dever cumprido".

Esta foi a terceira missão da Força Aérea portuguesa no Báltico, depois de ter participado em 2007 e em 2014, sempre como nação líder.

Lusa

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11