sicnot

Perfil

País

PS pede aos coordenadores locais que assumam o pagamento de despesas

A notícia faz capa no Jornal de Notícias de hoje, que diz que o partido atravessa várias dificuldades financeiras com um passivo de 21 milhões de euros e que está a deixar as concelhias e as federações do partido em guerra. De acordo com o JN, as distritais de Coimbra, Setúbal e Porto e as concelhias de Montemor-o-novo, Miranda do Corvo, Tábua e Oliveira do Hospital são as que reúnem maiores dificuldades.

O PS está em falência e a pedir aos coordenadores locais que assumam o pagamento de despesas para manterem as secções abertas.

Há várias iniciativas a serem canceladas por falta de verbas e despesas correntes como as da água e luz são asseguradas pelos dirigentes locais, sem qualquer apoio vindo do Largo do Rato, via federação distrital.

O Jornal de Notícias diz, ainda, que tentou contactar o responsável pelas finanças do partido Luís Patrão e a secretária-geral-adjunta Ana Catarina Mendes para obter um esclarecimento mas nenhum esteve disponível para comentar.

  • Nuno Melo diz que o Governo está a conduzir o País para o desastre
    0:48

    País

    Nuno Melo considera que o Governo de António Costa está a conduzir o país para o desastre e a arriscar um quarto resgate. Numa iniciativa do CDS-PP, em Peniche, o eurodeputado afirmou ainda que Bruxelas só considerou aplicar sanções a Portugal porque o PS decidiu formar Governo com a extrema esquerda.

  • PS desafia PSD a contribuir na preparação do Orçamento para 2017
    2:36

    Economia

    O Governo não espera dificuldades nas negociações com o Bloco de Esquerda e o PCP para o próximo orçamento do Estado. Ainda assim, deixa em aberto se vai ou não constar o aumento das pensões mais baixas, como exige a esquerda que sustenta o Executivo. Já o PS desafiou esta quinta-feira o PSD a dar um contributo de preparação do Orçamento e apresentar medidas alternativas.

  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52