sicnot

Perfil

País

Incertezas continuam um mês após o incêndio no Andanças

EDGAR LIB\303\223RIO

Um mês depois do incêndio que destruiu mais de 400 viaturas num parque de estacionamento do festival Andanças, em Castelo de Vide (Portalegre), as incertezas quanto ao desfecho deste caso continuam para os lesados e a organização.

"O que nós sabemos por parte da companhia de seguros do festival é que iria pronunciar-se depois de obter informações do Ministério Público. Nós, infelizmente, temos de aguardar, esperar que haja informações oficiais", disse à agência Lusa Catarina Serrazina, da organização do Andanças.

Fonte da Polícia Judiciária (PJ), por sua vez, indicou à agência Lusa que o relatório de investigação ao incêndio que ocorreu no dia 03 de agosto e que destruiu mais de 400 veículos já foi enviado para o Ministério Público, mas escusou-se a revelar mais pormenores sobre o seu conteúdo e respetivas conclusões.

O festival, promovido pela Pédexumbo - Associação para a Promoção da Música e Dança, tem decorrido nos últimos anos numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, acolhendo milhares de festivaleiros oriundos de todo o país e do estrangeiro.

Pedro Casanova, proprietário de um dos veículos que arderam no incêndio, não esconde a sua tristeza pelo sucedido, ao fim de um mês, lamentando ainda o silêncio e a "falta de respostas" por parte da organização.

"Eu já abati o meu carro, tive de ser eu a pagar a uma empresa para fazer isso tudo, uma vez que tinha seguro contra terceiros. Quanto a eles [organização] não sei de nada. A Pédexumbo não diz nada, não reage, é muito mau", disse o festivaleiro, em declarações à Lusa.

Residente em Portimão, Pedro Casanova recordou que o festival decorreu numa área com "mato selvagem", sublinhando que foi uma "sorte" o incêndio ter ocorrido no parque de estacionamento, pois, se o mesmo tivesse deflagrado na zona das tendas "morria toda a gente".

Vasco Branquinho viajou por sua vez da Parede, em Lisboa, até ao Andanças e também perdeu por completo o seu veículo e alguns bens pessoais, como um computador, e lança algumas críticas relacionadas com o estado do terreno onde os veículos estavam estacionados, sob temperaturas "muito elevadas".

Ao longo das últimas semanas, paulatinamente, os veículos têm sido retirados do parque de estacionamento do "Andanças", mas ainda permanecem no espaço cerca de 60 carros.

Fonte da GNR disse à Lusa que todas as viaturas foram "entregues" à custódia da organização do festival e que as mesmas estão identificadas, bem como os respetivos proprietários.

Na altura dos acontecimentos, a GNR informou que o número total de veículos destruídos total ou parcialmente no incêndio foi de 458.

Segundo a Proteção Civil, o incêndio deflagrou pouco antes das 15:00 de 03 de agosto e foi dado como extinto pelas 18:15.

Embora sem ferimentos graves, três pessoas ainda foram assistidas no local, tendo duas delas sido transportadas para o hospital de Portalegre por inalação de fumos.

Fonte da GNR admitiu também à Lusa, na altura, que o fogo teria tido origem numa viatura num parque de estacionamento localizado a "algumas centenas de metros" do recinto do festival. Mas segundo alguns jornais, as causas do incêndio podem estar relacionadas com um cigarro mal apagado.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • As polémicas do primeiro mês de Donald Trump como Presidente
    3:17
  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.