sicnot

Perfil

País

Substituir carne por proteína vegetal é opção para 45% dos portugueses

Quase metade dos portugueses parecem dispostos a deixar de comer carne e optar por proteínas vegetais, como o grão ou feijão, 54% consideram ter uma alimentação saudável e muitos mais dizem consumir legumes frequentemente, revela um inquérito.

Segundo os dados do "Primeiro Grande Inquérito Sustentabilidade em Portugal", realizado Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa, hoje divulgado, 45% dos participantes manifestaram-se bastante ou muito dispostos a optar por proteínas vegetais, em vez de carne.

No entanto, 38% disseram estar nada ou pouco dispostos a abdicar da carne na sua alimentação, enquanto 17% ainda estão indecisos.

Já para alternativas mais modernas ou estranhas a disponibilidade não é a mesma pois 80% não estão dispostos a introduzir insetos e minhocas processados nas suas refeições nem a consumir carne de animais clonados, 78% não quer carne de laboratório (in vitro) ou alimentos geneticamente modificados e 72% recusa refeições em pastilhas.

As conclusões acerca dos hábitos saudáveis dos portugueses apontam ainda para idas regulares ao médico da parte de 47%, pelo menos oito horas de sono por noite para 43%, peso vigiado em 41%, além de moderação no consumo de bebidas alcoólicas em 17%.

As medicinas alternativas são utilizadas somente por 6% dos inquiridos, mas o consumo de produtos de agricultura biológica já estão nas casas de 17% dos portugueses, enquanto 13% reconhece a ingestão de suplementos alimentares vitamínicos.

Além do consumo de verduras e legumes da parte de 73% dos inquiridos, a fruta também está na lista de comportamentos associados a uma alimentação saudável (57% de respostas), como a opção por comer várias vezes ao dia (46%) ou a redução por produtos salgados (41%) e de refrigerantes (39%).

Menos adeptos, mas ainda assim quase 20%, têm a preferência por produtos da época e o cuidado em evitar produtos com pesticidas.

Estes comportamentos relacionados com alimentação saudável são sempre mais seguidos pelas mulheres.

Outro tema abordado no inquérito do Observador de Ambiente e Sociedade, do ICS, foi a adesão dos portugueses a medidas ligadas à energia, que é mais elevada na colocação de vidros ou janelas duplos para melhorar a temperatura do interior da casa e quase um terço diz que já fez esta opção.

Entre 60% e 80% dos inquiridos respondem "gostaria" às várias possibilidades apresentadas pela equipa da investigadora Luísa Schmidt, principalmente a instalação em casa de painéis solares, tanto para produção de energia, como para aquecimento de água.

O inquérito presencial foi realizado de 07 de abril a 07 de maio, a 1.500 residentes em Portugal, com mais de 18 anos, numa amostragem aleatária atendendo a região, género, idade e escolaridade, com um intervalo de confiança de 95%.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.