sicnot

Perfil

País

Ministro da Defesa marca "regresso" de Portugal às missões de paz

Portugal vai reiterar, numa reunião ministerial de Defesa em Londres, o "regresso" de Portugal às missões de paz internacionais no âmbito das Nações Unidas, afirmou o ministro da tutela, José Azeredo Lopes, à agência Lusa.

O Ministro da Defesa português chegou na quarta-feira à capital britânica para participar na reunião Ministerial de Defesa dedicada às operações de manutenção de paz das Nações Unidas, onde estarão representados mais de 70 países e organizações internacionais.

A sua presença, declarou na quarta-feira à agência Lusa, é a confirmação de uma "linha importante da política externa portuguesa deste governo, que resulta numa revalorização do papel das Nações Unidas. É um regresso às Nações Unidas num contexto de qualificação e num contexto geográfico que é inovador".

O ministro referia-se à participação portuguesa na missão da ONU na República Centro-Africana com cerca de 160 militares, que terá um investimento a rondar os seis milhões de euros por ano, valor que consumirá uma grande parte do orçamento para as Forças Nacionais Destacadas (FND) para 2017, mesmo que este, como deseja, venha a crescer.

"Consideramos que o reforço orçamental das Forças Nacionais Destacadas (FND), mesmo que seja retirado de outros setores da Defesa Nacional, tem vantagens que são facilmente comprovadas", vincou, referindo a internacionalização e os benefícios da colaboração com outras forças com melhor equipamento e maior experiência internacional.

"Através de um investimento relativamente razoável, qualificarmos e capacitarmos as nossas forças armadas e garantir-lhes um papel: ser um instrumento dos mais prestigiados das relações externas portuguesas", enfatizou Azeredo Lopes.

O ministro considera que "o comportamento errático e a pouca consistência política" do anterior governo só resultou numa "diminuição da capacidade de representação e de projeção" das forças armadas portuguesas através das FNB, seja em missões da ONU ou da Nato.

Depois de uma receção e jantar na quarta-feira, os trabalhos da reunião prosseguem hoje com várias alocuções, nomeadamente do ministro anfitrião, o britânico Michael Fallon.

Azeredo Lopes fará uma intervenção de 15 minutos numa sessão plenária de manhã que se vai centrar na discussão do pré e pós-destacamento das operações de manutenção de paz.

Em particular, segundo o gabinete do ministro, "será abordada a preparação e o treino das forças e a sua adaptação às especificidades de cada teatro operacional, a responsabilização crescente das lideranças e as 'lições aprendidas' quanto à coordenação com organizações regionais, atores locais e no tocante à proteção de civis".

A reunião Ministerial de Defesa, que pretende refletir sobre as operações de manutenção de paz das Nações Unidas e as formas de melhorar o seu funcionamento e desempenho, pretende dar seguimento à Cimeira de Líderes dedicada à manutenção da paz, realizada nos Estados Unidos em setembro de 2015.

Além de fazer um balanço do que foi realizado desde a Cimeira de Líderes, esta conferência quer reforçar as promessas feitas no ano passado, melhorar o planeamento das operações de manutenção da paz e melhorar o desempenho em termos de qualidade dos militares envolvidos.

O evento fechará hoje à tarde, cerca das 16:00 horas, com a divulgação de uma declaração final, que deverá ser assinada pela maioria dos governos presentes.

Lusa

  • Presidente da Proteção Civil demitiu-se

    País

    O Presidente da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Joaquim Leitão, pediu esta quarta-feira a demissão com efeitos imediatos. A carta de demissão foi enviada para o Ministério da Administração Interna, no entanto, uma vez que a ministra também se demitiu, o documento seguiu para o gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

  • Provavelmente o melhor golo da noite de Liga Europa
    1:24
  • Vitória de Guimarães mais longe dos 16 avos de final
    1:48
  • O perfil dos novos ministros
    3:22

    País

    Pedro Siza Vieira e Eduardo Cabrita são os dois novos ministros que tomam posse no próximo sábado. Ambos têm uma particularidade: são amigos de longa data do primeiro-ministro António Costa.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão

  • Fogos na Califórnia provocaram 42 mortos e perdas acima de mil milhões de dólares

    Mundo

    O comissário dos seguros da Califórnia afirmou esta quinta-feira que as perdas provocadas pelos incêndios que dizimaram extensas áreas deste Estado norte-americano excedem os mil milhões de dólares (844 milhões de euros). Estes incêndios, que começaram no condado de Sonoma County, já provocaram a morte a 42 pessoas no mês de outubro.

  • Quem está ao lado de Trump? Melania ou uma sósia?

    Mundo

    A especulação surgiu no Twitter: estaria Trump acompanhado de uma sósia de Melania para ocultar a ausência da mulher num evento oficial? A teoria da conspiração ganhou depois força nas redes sociais. Julgue por si mesmo.

    SIC

  • Norte-americano entrega-se após perder aposta com a polícia no Facebook

    Mundo

    Um jovem de 21 anos procurado pela polícia norte-americana entregou-se, esta segunda-feira, depois de perder uma aposta com a polícia, no Facebook. Michael Zaydel prometeu entregar-se se uma publicação sobre o seu desaparecimento chegasse às mil partilhas, na rede social. O jovem norte-americano prometeu ainda levar uma dúzia de donuts, caso os agentes da cidade de Redford conseguissem ganhar a aposta.

    SIC