sicnot

Perfil

País

PCP reitera apoio à luta dos assistentes dos portos e aeroportos

O PCP reiterou esta quinta-feira o apoio à luta dos assistentes dos portos e aeroportos, sublinhando que se trata de um setor onde impera a precariedade e os baixos salários, com "uma degradação preocupante das condições de trabalho".

"A segurança dos 40 milhões de passageiros que passam anualmente pelos aeroportos nacionais depende de trabalhadores que sobrevivem com baixos salários, com horários e cargas de trabalho desumanos, que não têm hora, nem meia hora de refeição, que não têm balneários para se fardar (...), que enfrentam situações inaceitáveis na saúde, higiene e segurança no trabalho", afirmou o deputado do PCP Bruno Dias.

Numa declaração política na comissão permanente da Assembleia da República, que se realizou esta tarde, o deputado comunista sublinhou que os assistentes dos portos e aeroportos desempenham uma "atividade central" para o funcionamento da aviação civil, lamentando que sejam "vítimas das multinacionais a quem o Estado português entregou a atividade aeroportuária em concessão".

"É um setor onde impera a precariedade e os baixos salários, com um degradação preocupante das condições de trabalho", vincou.

Estes trabalhadores, insistiu, exigem "apenas o que é justo", nomeadamente a negociação de um contrato coletivo, com a criação de uma carreira profissional, balneários e salas de descanso, exames médicos.

Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00